PUBLICIDADE

DINO

Laser é alternativa para combater os primeiros sinais de calvície

Estudos científicos desenvolvidos com relação à aplicabilidade da fototerapia na calvície demonstraram resultados animadores

19 dez 2016 - 10h25
Compartilhar
Exibir comentários

A perda de 50 a 100 fios de cabelo por dia é considerado pelos especialistas algo absolutamente normal. Isso deve-se ao processo natural de crescimento e desenvolvimento do cabelo.

Foto: DINO

Entretanto, a perda passa a ser algo preocupante quando de fato percebemos que o cabelo está ficando ralo, o couro cabeludo com maior espaço entre os fios, e os fios estão por toda parte, como no travesseiro e durante o banho.

O problema é mais frequente entre os homens, porém, a calvície também é uma realidade para o público feminino.

Um estudo da Sociedade Brasileira do Cabelo aponta que 50% das mulheres têm alguma queixa relacionada à queda de cabelo. E a calvície propriamente dita, que é uma rarefação aguda dos fios, atinge 5% da população feminina.

De acordo com a fisioterapeuta dermato funcional, Thaís Rodrigues, diversos fatores podem desencadear o problema.

"Tanto a calvície feminina quanto a masculina pode estar associada às questões genéticas, falta de nutrientes, disfunções hormonais, doenças autoimunes e gravidez - no caso de mulheres", observa.

Segundo Thaís, as características da calvície em homens e mulheres são bem diferentes. Enquanto em homens observa-se um padrão de evolução com formação de entradas em áreas de têmporas, nas mulheres nota-se um cabelo que vai ficando mais rarefeito e fino, com densidade reduzida.

A calvície é provocada por um hormônio derivado da testosterona, chamado Dihidrotestosterona (DHT). A testosterona é transformada em DHT pela enzima 5alfa redutase e, uma vez liberada, ela necessita se conectar a um receptor para ser ativada e causar danos ao folículo piloso, alterando o seu ciclo de crescimento normal.

"Sendo assim, os indivíduos afetados possuem mais quantidade de enzima 5alfa redutase e mais quantidade de receptor. Por este motivo, esses indivíduos tornam-se mais sensíveis aos efeitos da DHT sobre os folículos", argumenta.

Além de medicamentos, o segmento estético dispõe também de tecnologias que estimulam o crescimento dos fios e, em muitos casos, podem resolver o problema de queda de cabelos, como os lasers de baixa potência.

Esse é o caso do Fluence, equipamento de LED e laser da HTM, que é uma das tecnologias mais procuradas para o tratamento de queda de cabelo.

"Alguns estudos científicos já foram desenvolvidos com relação à aplicabilidade da fototerapia no tratamento da calvície demonstrando resultados bastante animadores. Isso porque, o laser vermelho presente nessa tecnologia promove um aumento da circulação local e do metabolismo folicular, com reativação do crescimento dos fios do cabelo, bem como do volume capilar", explica.

Com duração média de 30 minutos, o tratamento é realizado de 8 a 10 sessões, podendo variar de acordo com a indicação do profissional. O intervalo entre as sessões também é definido pelo profissional.

Lembrando que na ausência do folículo piloso o tratamento não terá efeito.

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade