PUBLICIDADE

Guilherme Mazieiro

PF prende suspeito de integrar grupo de matadores de aluguel no Rio com 13 armas

Foram apreendidas 13 armas, relógios, dinheiro, celulares e veículos de luxo na Ilha do Governador

7 dez 2023 - 13h25
Compartilhar
Exibir comentários
Armas apreendidas na Operação Arsenal Clandestino, no Rio
Armas apreendidas na Operação Arsenal Clandestino, no Rio
Foto: Divulgação/Polícia Federal

A Polícia Federal (PF) prendeu em flagrante, nesta quinta-feira, 7, um homem de 42 anos suspeito de ter integrado o “Escritório do Crime”, grupo de matadores de aluguel que atua no Rio de Janeiro. A coluna apurou que o preso é Luiz Paulo Lemos Junior, conhecido como “Juninho” ou “Chupeta”. Segundo a PF, ele teria participado da organização criminosa até 2020 e, em 2014, teria sido motorista de um veículo utilizado por Ronnie Lessa em um atendado com mais de 40 disparos de fuzil contra um miliciano e a esposa. Lessa que é acusado de matar a vereador Marielle Franco (Psol), em 2016, e não é alvo desta operação.

Foram apreendidas 13 armas, entre espingardas e pistolas, relógios, veículos de luxo, maços de dinheiro, e celulares. Ainda não há balanço sobre as quantias de munições e dinheiro. Segundo informou a Polícia Federal, a Operação Arsenal Clandestino, na Ilha do Governador (RJ), tinha o objetivo de apreender 50 armas de fogo e o suspeito, que é ex-CAC (sigla para Caçador, Atirador, Colecionador) e apontado como dono das armas.

“Das 50 armas de fogo procuradas, apenas 13 foram encontradas e apreendidas, o que indica a possível prática do crime de comércio ilegal de armas de fogo, munição e acessórios, cuja pena pode chegar a 12 anos de prisão, além de multa. Também foram apreendidas diversas munições no local”, informou a PF, que segue na busca as 37 armas que não foram encontradas.

Arma e dinheiro apreendidos na Operação Arsenal Clandestino, nesta quinta, 7.dez
Arma e dinheiro apreendidos na Operação Arsenal Clandestino, nesta quinta, 7.dez
Foto: Divulgação/Polícia Federal

A PF informou que o preso será encaminhado ao sistema prisional do estado. Somados, os crimes de  posse ilegal de armas de fogo de uso restrito e permitido podem chegar a 10 anos de prisão e multa.

A coluna tenta contato com a defesa de Lemos Junior, o espaço está aberto para manifestação.

Fonte: Guilherme Mazieiro Guilherme Mazieiro é repórter e cobre política em Brasília (DF). Já trabalhou nas redações de O Estado de S. Paulo, EPTV/Globo Campinas, UOL e The Intercept Brasil. Formado em jornalismo na Puc-Campinas, com especialização em Gestão Pública e Governo na Unicamp. As opiniões do colunista não representam a visão do Terra. 
Compartilhar
Publicidade
Publicidade