PUBLICIDADE

Guilherme Mazieiro

Em corrida para ser aprovado ao STF, Zanin marca reunião com senadores do MDB

Lula indicou seu advogado para vaga de Ricardo Lewandowski; sabatina foi marcada para dia 21 no Senado

13 jun 2023 - 19h46
(atualizado em 14/6/2023 às 00h16)
Compartilhar
Exibir comentários
Zanin (ao centro), já esteve com Davi Alcolumbre (União Brasil-AP) e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG)
Zanin (ao centro), já esteve com Davi Alcolumbre (União Brasil-AP) e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG)
Foto: Reprodução/Twitter/@rodrigopacheco / Estadão

O advogado Cristiano Zanin, que defendeu o presidente Lula (PT) em processos da Lava Jato, marcou um encontro com a bancada do MDB no Senado para discutir sua aprovação ao Supremo Tribunal Federal (STF).

A reunião foi agendada pelo líder do partido no Senado, Eduardo Braga (AM), que se reuniu com Zanin nesta terça-feira, 13. O encontro do advogado com os dez senadores do MDB está marcado para às 15h desta quarta-feira, 14. O advogado corre para se apresentar e conquistar o voto dos senadores até dia 21 de junho, quando acontecerá sua sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), no Senado. Para ser aprovado, precisará do voto de ao menos 41 dos 81 senadores.

Nesta terça, além de Braga, Zanin se encontrou com senadores da bancada do PSD, de quem recebeu apoio para ser conduzido. E teve conversas com outros senadores como Rogério Carvalho (PT-SE) e Alessandro Vieira (PSDB-SE).

"[Tivemos] uma conversa tranquila. Registrei quais são os meus pontos de objeção, em especial a quebra da impessoalidade na indicação", disse à coluna o senador Vieira.

De acordo com o parlamentar, Zanin justificou que "as possibilidades de suspeição e impedimento [situações em que o magistrado se declara impedido de julgar algum processo por ter relação com o caso] seriam suficientes para resolver isso". 

Segundo senador, a conversa foi sobre casos genéricos, não trataram de uma situação concreta, por exemplo, processos da Lava Jato. Vieira, no entanto, não declara o voto antes da sabatina: "[onde poderemos] ver se tem compromisso público neste sentido", disse Vieira.

Fonte: Guilherme Mazieiro Guilherme Mazieiro é repórter e cobre política em Brasília (DF). Já trabalhou nas redações de O Estado de S. Paulo, EPTV/Globo Campinas, UOL e The Intercept Brasil. Formado em jornalismo na Puc-Campinas, com especialização em Gestão Pública e Governo na Unicamp. As opiniões do colunista não representam a visão do Terra. 
Compartilhar
Publicidade
Publicidade