PUBLICIDADE

Guilherme Mazieiro

Lula decide manter Daniela Carneiro como ministra do Turismo

Secom confirmou decisão de Lula, que se reuniu com a ministra pela manhã; cargo é cobiçado pelo centrão para melhorar articulação política

13 jun 2023 - 12h18
Compartilhar
Exibir comentários
Waguinho e a esposa Daniela Carneiro, ministra do Turismo, com Lula
Waguinho e a esposa Daniela Carneiro, ministra do Turismo, com Lula
Foto: Poder360

O presidente Lula (PT) decidiu manter a ministra do Turismo, Daniela Carneiro, no cargo. O mandatário e a ministra se reuniram na manhã desta terça-feira, 13, participaram o ministro da Secretaria de Relações Institucionais (SRI), Alexandre Padilha, e o marido da ministra, prefeito de Belford Roxo, Waguinho (Republicanos). A informação foi confirmada ao blog pela Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom).

“O presidente e a ministra conversaram sobre a situação política. A ministra vai para audiência na Câmara nesta terça e participa da reunião ministerial na quinta-feira”, informou a Secom.

A audiência a que a Secom se refere é às 15h, na Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados. Ela foi convidada para apresentar planos e programas da pasta para 2023. 

Nesta segunda-feira, 12, o líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT) considerou “pertinente” e “lógica” a troca da ministra, ainda que defendesse sua permanência no posto.

A troca da ministra era dada como certa por diferentes parlamentares e interlocutores do governo. Isso em razão das dificuldades que o governo Lula enfrenta para montar base no Congresso. Os tropeços no Parlamento fizeram Lula entrar pessoalmente nas negociações e se reunir com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e líderes de bancadas do Senado.

A ministra foi eleita deputada pelo União Brasil, mas ainda que o partido tenha membros em outros dois ministérios, não vota com o governo.

Deputados reclamam que a escolha da ministra foi uma decisão de Lula, em troca de apoio dela e do marido junto aos evangélicos na eleição. Já as duas outras pastas, Comunicações, com Juscelino Filho, e a Integração e Desenvolvimento Regional, com Waldez Góes, são indicações do senador Davi Alcolumbre (União Brasil-AP), o que faz com que deputados não se sintam representados.

Parte da negociação do União Brasil passa pelo deputado Elmar Nascimento (BA), braço direito e amigo pessoal de Lira, que já se reuniu com Lula para discutir o ambiente político.

Fonte: Guilherme Mazieiro Guilherme Mazieiro é repórter e cobre política em Brasília (DF). Já trabalhou nas redações de O Estado de S. Paulo, EPTV/Globo Campinas, UOL e The Intercept Brasil. Formado em jornalismo na Puc-Campinas, com especialização em Gestão Pública e Governo na Unicamp. As opiniões do colunista não representam a visão do Terra. 
Compartilhar
Publicidade
Publicidade