PUBLICIDADE

Estudantes são punidos por se oporem à marcha antivacina

A polícia alemã ameaça multar por violações das regras anticovid grupo que formou barreira humana contra manifestantes

14 jan 2022 21h08
| atualizado às 22h57
ver comentários
Publicidade

A polícia da cidade de Dresden, na Saxônia, decidiu nesta sexta-feira (14/01) abrir um processo criminal contra 22 estudantes de medicina que tentaram na noite anterior impedir que um grupo de manifestantes antivacina realizasse um protesto em frente à clínica universitária. 

As autoridades afirmam que as restrições em vigor na cidade do leste alemão permitem apenas atos públicos com no máximo dez pessoas. Dessa forma, os estudantes, em maior número, teriam violado as regras e estariam sujeitos a multas. 

Os estudantes se reuniram em frente à clínica para reagir a um dos "passeios", como são chamados os protestos contra as restrições impostas pelo governo e contra a vacina. Estas, na verdade, são manifestações ilegais, por não estarem devidamente registradas junto às autoridades e violarem as regras anticovid impostas pelos governos estaduais e federal.

Barreira humana formada por estudantes em frente à clínica em Dresden. Faixa com os dizerem "Saxônia, vacine-se"
Barreira humana formada por estudantes em frente à clínica em Dresden. Faixa com os dizerem "Saxônia, vacine-se"
Foto: DW / Deutsche Welle

A manifestação desta quinta-feira em Dresden, organizada através das redes sociais, estava marcada para começar em frente à clínica universitária. Em reação, os estudantes formaram uma barreira humana em frente ao local, e portavam cartazes com frases como "Saxônia, vacine-se".

Centenas de policiais de diversos estados alemães que lá estavam conseguiram dispersar o "passeio" antivacina antes mesmo do início, e afirmaram que mais de 200 manifestantes foram verificados e poderão ser multados por violarem as regras anticovid.

Vídeos de maus tratos aos estudantes por parte da polícia geraram revolta nas redes sociais, com muitas pessoas afirmando que eles receberam tratamento pior do que foi dado aos antivacinas.

Um porta-voz da polícia disse que a situação era "confusa e dinâmica", enquanto os policiais tentavam remover todos os manifestantes da área em frente à clínica, fossem estes estudantes ou antivacinas. Ele disse que os universitários também deveriam ter registrado oficialmente seu protesto junto às autoridades.

Ministro da Saúde apoia jovens

O ministro alemão da Saúde, Karl Lauterbach, se expressou em defesa dos estudantes, lhes oferecendo seu "enfático apoio". Ele classificou de "preocupante" o fato de que eles poderão ser punidos com multas.

O governador do estado, Michael Kretschmer, elogiou a coragem dos estudantes. "Eles veem todos os dias que as medidas contra o vírus não são o problema, mas sim, o próprio vírus". O governador é criticado com frequência pela imposição de regras anticovid, e chegou ser alvo de um complô para assassiná-lo.

O estado da Saxônia possui menos de 62% de sua população com esquema vacinal completo - o índice mais baixo entre os 16 estados alemães - e uma das maiores taxas de infecção de covid-19 do país. Protestos contra as medidas anticovid ocorrem com frequência.

 

Deutsche Welle A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.
Publicidade
Publicidade