PUBLICIDADE

Candidatos trocam farpas sobre disposição para debates no RS

9 out 2014 - 18h11
Compartilhar
Exibir comentários

Virou polêmica a realização dos debates do segundo turno entre os candidatos ao governo no Rio Grande do Sul. As divergências começaram após o candidato do PMDB, José Ivo Sartori (PMDB), ter optado por começar a participar dos confrontos diretos apenas a partir da próxima semana. A decisão, sobre a qual foi batido o martelo na noite de quarta-feira, fez com que acabasse cancelado o debate que devia ocorrer na noite desta quinta-feira, na Band TV.

O cancelamento foi confirmado em nota divulgada pela emissora e o debate adiado para a semana que vem. Antes do adiamento do evento na Band, o staff de Sartori também já havia transferido para a próxima semana a data do debate da Rádio Gaúcha.

“Eu pessoalmente achei que era melhor começar na semana que vem, porque acho que esta semana em que estamos é de articulação. É isso”, resumiu Sartori, na manhã desta quinta, durante o ato com lideranças partidárias no qual oficializou seu apoio à candidatura de Aécio Neves (PSDB) à presidência da República.

Menos de duas horas depois, durante agenda de campanha também em Porto Alegre, o governador Tarso Genro (PT), candidato à reeleição, provocou: “deve ser porque ele não está preparado para debater. Não debateu no primeiro turno e talvez nem esperasse ir para um segundo”.

A afirmação do petista é uma referência direta ao fato de Sartori ter chegado ao segundo turno da eleição após uma virada na votação. Até o último dia, as pesquisas indicavam que Tarso disputaria o segundo turno com a senadora Ana Amélia Lemos (PP), enquanto a campanha de Sartori enfrentava problemas financeiros e muitos candidatos de seu partido, o PMDB, sequer se empenhassem em pedir votos para a chapa majoritária.

Desde o domingo, Tarso vem assinalando que Sartori passou “à margem” do debate no primeiro turno. Nesta quinta o peemedebista reagiu. “Eu nem acreditei que ele tinha dito isso. Desmerecer os outros, dizer que não debateram. Eu participei da minha forma. Podem me faltar às vezes condições intelectuais que os outros, às vezes, acham que têm”, ironizou.

A coordenação de campanha de Tarso informou na tarde desta quinta-feira que o governador pretende participar de todos os debates para os quais for convidado. Até agora, já somam 13 convites. O governador, que passou para o segundo turno com menos votos do que Sartori, avalia que leva vantagem nos confrontos diretos nos quais, adiantou, pretende “aprofundar” as propostas das duas candidaturas.

A coordenação de campanha de Sartori tinha uma proposta inicial de que houvesse apenas um debate no segundo turno, mas desistiu da ideia após a reação bem pouco positiva da parte das entidades e veículos de comunicação interessados em promover os encontros. A proposta de que fossem feitos debates por grupo de comunicação (rádios e emissoras de TV de um mesmo grupo fariam um debate conjunto), também não foi bem recebida.

A coordenação do peemedebista informou nesta quinta que ele foi convidado para 11 debates e os convites continuam chegando. Até esta tarde, Sartori havia confirmado participação em seis dos confrontos. Os demais ainda dependem de rodadas de reuniões.

Veja o cenário eleitoral nos estados Veja o cenário eleitoral nos estados

Fonte: Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade