0

"Noite delicada, mas contornada", diz filho de Bolsonaro

Candidato do PSL passou por um procedimento de emergência por causa de um inchaço na região abdominal

13 set 2018
08h50
atualizado às 09h28
  • separator
  • comentários

Um dos filhos do candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) nas eleições 2018, Carlos Bolsonaro, disse na madrugada desta quinta-feira, 13, que o militar da reserva passou uma noite "delicada", mas que a situação foi contornada. O presidenciável precisou passar por mais uma cirurgia de emergência, na noite de quarta, por causa de um inchaço na região abdominal.

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) passou por cirurgia de emergência na noite de quarta-feira (12)
O candidato Jair Bolsonaro (PSL) passou por cirurgia de emergência na noite de quarta-feira (12)
Foto: Flávio Bolsonaro / Divulgação / Estadão Conteúdo

"Médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e técnicos de enfermagem; estou vendo de perto o trabalho dessas pessoas desde o início e só temos a agradecer. Noite delicada, mas 100% contornada", escreveu Carlos no Twitter. "O velho é forte como um cavalo, não é a toa que seu apelido de Exército é 'cavalão'."

O procedimento durou pouco mais de uma hora e foi bem-sucedido, de acordo com médicos do Hospital Albert Einstein, onde Bolsonaro está internado desde a última sexta. No dia 6, o candidato foi esfaqueado durante um ato de campanha em Juiz de Fora, e teve perfurações no intestino grosso e no intestino delgado. O hospital deve divulgar um boletim atualizado sobre o estado de saúde de Bolsonaro ainda nesta quinta.

Com o aparecimento do inchaço nesta quarta, os médicos que cuidam do candidato decidiram realizar uma tomografia de abdome, que evidenciou a presença de aderência obstruindo o intestino delgado e a necessidade da cirurgia. A equipe que cuida do presidenciável é chefiada pelo médico Antonio Luiz de Vasconcellos Macedo.

Após a cirurgia, o presidente em exercício do PSL, Gustavo Bebianno, também comentou o procedimento. "A cirurgia correu bem, graças a Deus, dentro do previsto. O maior receio nosso era a anestesia. Agora, ele retorna para o CTI porque foi um novo procedimento cirúrgico, uma nova incisão, abriram novamente o abdome dele e, de novo, a recuperação da anestesia geral é sempre complicada."

Veja também

 

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade