PUBLICIDADE

Haddad critica atual gestão do MEC e relembra prisão de ex-ministro

Candidato ao governo de São Paulo defendeu o seu legado como ministro da Educação

14 out 2022 - 23h37
(atualizado em 15/10/2022 às 01h28)
Compartilhar
Exibir comentários
Confira a íntegra da sabatina de Fernando Haddad:

Fernando Haddad (PT) não poupou críticas à atual gestão do Ministério da Educação quando foi questionado sobre a pauta e relembrou até da prisão de Milton Ribeiro, ex-ministro da pasta entre junho de 2020 e março de 2022. O candidato ao governo de São Paulo enfatizou seus feitos no comando do MEC, e também quando ocupou o cargo de chefe do Executivo na capital paulista durante sabatina realizada por Terra, Estadão/Rádio Eldorado, SBT, CNN, Veja e Rádio Nova Brasil. A entrevista substituiu o debate marcado para esta sexta-feira, 14, já que o candidato Tarcísio de Freitas (Republicanos) recusou o convite para o encontro. 

Haddad foi perguntado como conquistaria os eleitores mesmo tendo deixado de entregar os Centros Educacionais Unificados (CEU) enquanto era prefeito de São Paulo. O candidato aproveitou para ressaltar seus feitos enquanto ministro da Educação, afirmando que tem um “legado inestimável” a defender.

“Bolsas do Prouni, 700 mil bolsas [foram entregues] só no estado, e mais de 3 milhões no país. A maior expansão das universidades federais no Brasil, Institutos Federais”, afirmou ao enfatizar que promoveu a maior expansão da educação básica e superior enquanto era ministro. 

Com ausência de Tarcísio (Republicanos), Haddad (PT) é entrevistado no SBT
Com ausência de Tarcísio (Republicanos), Haddad (PT) é entrevistado no SBT
Foto: Divulgação/ SBT

Haddad aproveitou para criticar as gestões que passaram pelo MEC nos últimos quatro anos. “Fiquei sete anos, e não é como hoje, que em quatro, teve cinco ministros, um saiu preso”, disse ao citar prisão de Milton Ribeiro, que ocorreu em junho deste ano, após suspeita de integrar esquema de ilegalidades na pasta. 

“No meu tempo, fiquei sete anos e saí com todas as metas cumpridas. Peço desculpa se você quiser sobre o início das obras do CEU. Mas quando terminei, tinha fluxo de caixa para terminar as obras, e todas estão terminadas”, finalizou.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade