PUBLICIDADE

Crime organizado 'tomou conta do Palácio Laranjeiras' com apoio do PT, diz Ciro

Pedetista participou de ato de campanha na manhã deste domingo, 25, no Rio de Janeiro

25 set 2022 - 13h14
(atualizado às 13h45)
Compartilhar
Exibir comentários
Ciro Gomes participa de sabatina
Ciro Gomes participa de sabatina
Foto: Aloisio Mauricio/FotoArena / Estadão

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT), que tem concentrado suas críticas no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), voltou a atacar o petista durante um ato de campanha no Rio, na manhã deste domingo, 25. Ciro afirmou que o crime organizado tomou conta da política fluminense com apoio do PT.  

"Com o apoio do PT, o crime organizado tomou conta do Palácio Laranjeiras. É uma coisa impressionante a quantidade governadores que foram do Palácio para a cadeia", disse Ciro a apoiadores e correligionários na Avenida Atlântica.

O Palácio das Laranjeiras é o imóvel da zona sul do Rio destinado à moradia dos governadores do Estado do Rio. Nos últimos anos, cinco ex-governadores do Rio foram presos e um sofreu impeachment.

Ciro, que estava acompanhado pelo candidato ao governo do Rio Rodrigo Neves (PDT), também atacou o presidente Jair Bolsonaro (PL), a quem chamou de "bandido" e "genocida". "Onze em cada cem mortos pela covid eram brasileiros", reclamou, culpando o atual presidente pelas mortes durante a pandemia.

De acordo com Ciro, a ascensão de Bolsonaro ao Planalto em 2018 foi impulsionada pelo PT.

"Por que quase 70% do povo do Rio de Janeiro votou (em 2018) nessa figura trágica que é o Bolsonaro? Por conta das obras e realizações dele? Sempre foi um deputado medíocre do baixo clero, que fazia roubo até no preço da gasolina e dos funcionários fantasmas da famosa 'rachadinha'. O povo brasileiro votou esmagado pelo encontro terrível da maior crise econômica, provocada pelo PT, e pela roubalheira generalizada do PT. Só por isso o povo vota numa figura trágica e bandido como Bolsonaro".

Ao fim do evento, após uma breve passagem por Copacabana, onde foi recebido por cerca de 300 pessoas, Ciro foi à favela da Rocinha, também na zona sul, acompanhado pelo ex-presidenciável e candidato ao Senado pelo Rio, Cabo Daciolo (PDT).

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade