Governo de SP suspende prova que avalia aprendizagem

Saresp não será aplicado neste ano na rede estadual de ensino por causa da situação atípica provocada pela pandemia do coronavírus

11 ago 2020
05h07
atualizado às 07h44
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O governo estadual de São Paulo não realizará este ano as provas do Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar (Saresp), que medem o desempenho em Língua Portuguesa e Matemática. A leitura do secretário estadual da Educação, Rossieli Soares, é de que não faz sentido fazer uma avaliação externa da rede este ano em função da pandemia do coronavírus, que obrigou o fechamento das escolas em todo o País.

Foto: fdr

"Vamos focar nas avaliações processuais. E olhar também para as competências socioemocionais, como está o emocional das crianças. Provavelmente as duas semanas de aula serão de acolhimento emocional e depois haverá uma avaliação diagnóstica", disse Rossieli. Segundo o secretário, os professores da rede estão passando por capacitações para conduzir avaliações diagnósticas no retorno.

A prova do Saresp avalia o desempenho dos alunos do 5.º, 7.º e 9.º anos do ensino fundamental e 3.º ano do ensino médio em Língua Portuguesa e Matemática. Na última avaliação, o desempenho dos alunos do 3º ano do ensino médio da rede estadual de São Paulo teve queda em Língua Portuguesa e Matemática. Foi a primeira vez desde 2013 que se registrou piora no indicador de aprendizado nas duas disciplinas avaliadas pelo Saresp.

Na última edição, no ensino fundamental, também houve pequena queda no desempenho dos estudantes do 5º ano em Língua Portuguesa, de 217 para 216,8 pontos. Em Matemática, os alunos dessa série tiveram melhora no indicador, que subiu de 227,4 para 231,3.

Recuperação

O retorno das aulas presenciais está previsto para 7 de outubro, mas haverá a opção de retorno em setembro para cidades que permanecerem na fase amarela do plano de reabertura durante 28 dias. Pensando no retorno, o governo estadual prepara um material de recuperação para os estudantes com foco nas habilidades mais essenciais à aprendizagem dos alunos.

Também haverá, para estudantes do 3º ano do ensino médio, a possibilidade de cursar um 4º ano opcional, em que o aluno poderá reforçar a aprendizagem. Entre o fim deste mês e o início de setembro, a pasta pretende fazer uma pesquisa com os estudantes para avaliar a demanda pelo 4º ano opcional.

A previsão do secretário é de que o ano letivo de 2020 seja concluído até o fim de dezembro deste ano para todos os alunos da rede estadual - e que o mês de janeiro seja usado como período de férias.

Veja também:

Com falta de dinheiro e sem profissionais, associação é contra retorno das aulas

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade