PUBLICIDADE

Tratamento veterinário auxilia na recuperação de animais de estimação com fraturas

25 set 2019 17h15
ver comentários
Publicidade

Da mesma forma que acontece com os seres humanos, os animais de estimação, após sofrerem um acidente como atropelamento ou queda, podem fraturar um ou mais ossos. Tanto em cães como em gatos, os traumas por atropelamentos e quedas são a principal causa, mas existem também algumas doenças metabólicas que podem trazer uma perda da densidade óssea e consequente fratura patológica.

Foto: mundoaparte.com.br / DINO

O tratamento cirúrgico é o método de eleição para a correção de fraturas e o implante escolhido pelo ortopedista para a estabilização vai depender do tipo de fratura, do objetivo terapêutico, da localização da lesão e do comportamento do paciente.

Da mesma forma como acontece nos humanos, após a cirurgia, a fisioterapia é recomendada para auxiliar no tratamento e o início pode ser logo no pós operatório imediato.

Quando há uma lesão grave, a ponto de fraturar um osso, diversos tecidos do corpo também sofrem alterações. A pele, músculos, tendões e ligamentos são lesionados e apresentam uma contusão importante, além da alteração vascular local, presença de edema, inflamação ativa e dor.

Tanto no período pós-cirúrgico quanto no período que antecede a cirurgia, uma série de reações são desencadeadas pelo organismo em prol da cicatrização dos tecidos lesionados. É bastante comum encontrar aderências que dificultam o procedimento cirúrgico, dependendo do tempo que transcorre entre a fratura e a cirurgia.

A fisioterapia veterinária vai atuar em todas as etapas no processo de recuperação do animal com fratura. Através da aplicações de aparelhos associados a terapias manuais a fisioterapia vai iniciar a reabilitação ajudando no controle da dor e inflamação local. Crioterapia (terapia com frio), laserterapia, fototerapia e eletroestimulação são algumas das terapias que vão ajudar na etapa inicial do tratamento.

Para que haja consolidação óssea é preciso que o apoio do membro operado aconteça. Após o controle da dor estabelecido, a fisioterapia vai auxiliar o animal de estimação para o retorno funcional do membro, uma vez que após a cirurgia os animais apresentam, na grande maioria das vezes, dificuldade em voltar a apoiar a pata no chão. Nessa etapa do tratamento são muito utilizados os exercícios físicos, bolas, pranchas de equilíbrio, eletroestimulação, e até mesmo o uso da esteira aquática, que é uma esteira de caminhada, como essas vistas em academias, submersa em um tanque cheio de água. Da mesma forma que os humanos ficam "mais leves" dentro da água, os animais apresentam uma caminhada livre de impactos e também apresentam um maior ganho de massa muscular durante a caminhada.

Além desses benefícios a fisioterapia no auxílio do animal de estimação que passou por cirurgia de fratura, alguns equipamentos da fisioterapia auxiliam na cicatrização óssea, como o caso do ultrassom e a magnetoterapia.

De acordo com o CRMV (Conselho Regional de Medicina Veterinária) a fisioterapia veterinária pode apenas ser realizada por um médico veterinário devidamente capacitado.

Enxergando a oportunidade do crescimento da especialidade, a Mundo à Parte, uma clínica especializada em fisioterapia veterinária decidiu franquear o seu modelo de negócio e metodologia de ensino própria. A empresa atualmente com 39 unidades espalhadas pelo Brasil e visa a expansão tanto no mercado nacional quanto internacional para o próximo ano.



Website: https://mundoaparte.com.br/

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
Publicidade
Publicidade