0

Saiba de que maneira o trabalhador está se preparando para a provável Reforma Trabalhista

21 set 2016
17h56
  • separator
  • comentários


Tema de discussão acalorada em todo Brasil, a reforma da legislação trabalhista é, atualmente, a proposta que mais divide opiniões sobre o atual governo. Fato é que, repleta de peculiaridades, as normas da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) são, geralmente, desobedecidas.

Foto: DINO

"É comum que lesões sejam cometidas pelos empregadores por falta de conhecimento, mas, na maioria das vezes, é por abuso", explica o advogado Paulo Ferrareze Filho, doutorando pela UFSC, justificando o altíssimo número de ações tramitando no poder judiciário. "Desse modo, mostra-se vital que o trabalhador conheça seus direitos e busque orientação para que as faltas sejam diminuídas e, quando ocorridas, possam ser reparadas posteriormente".

Com esse pensamento, é que o Escritório Gelson Ferrareze Sociedade de Advogados disponibiliza a Assessoria Preventiva: um recurso que permite ao assalariado identificar e registrar evidências de eventuais ilegalidades cometidas por seu empregador. Assim, posteriormente, o funcionário estará munido para discutir os fatos ocorridos junto ao poder Judiciário. "O que acontece, via de regra, é que o trabalhador só se preocupa com o ressarcimento dos prejuízos quando é desligado da empresa. Entretanto, praticamente todas as provas necessárias para ajuizar uma reclamatória trabalhista qualificada devem ser guardadas durante o período em que ele exerce sua função", complementa Alexandre Matzenbacher, sócio do escritório.

Aderindo a essa modalidade de contrato, o cliente é submetido a uma entrevista detalhada sobre sua rotina na empresa e, num prazo de 30 dias, recebe seu Plano de Prevenção Jurídica (PPJ): uma síntese dos fatos relatados na entrevista confrontados com a legislação trabalhista. No plano, são elencados os possíveis pedidos e os meios de comprovação. "Além do PPJ, nosso cliente conta com uma equipe sempre disposta a atendê-lo, tanto pessoal quanto virtualmente. Sabíamos que a ideia seria um sucesso, mas não contávamos que a procura aumentasse tanto com a discussão da nova reforma na legislação", encerra Paulo, otimista com a efetivação dos direitos da classe trabalhadora.

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade