2 eventos ao vivo

Nova tecnologia promete ajudar hospitais a aumentar a receita e diminuir os custos

31 jul 2020
11h16
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Bioxxi, empresa de esterilização líder no país, acaba de lançar para o mercado de saúde uma tecnologia antes exclusiva para os clientes de sua base, o CMEXX. 

Foto: DINO / DINO

O CMEXX é um Sistema de Rastreabilidade e Gestão de CME  que tem transformado a gestão das Centrais de Materiais e Esterilização (CMEs) num aliado estratégico para o aumento da produtividade, redução de custo, racionalização de investimentos em materiais cirúrgicos e, consequente, crescimento das receitas do hospital. 

Implantar tecnologias que possibilitem ganhos produtivos e rentáveis tem sido o grande desafio da rede hospitalar. Este desafio ficou ainda mais evidente nos últimos meses, quando as unidades de saúde foram atingidas, direta e indiretamente, pela pandemia do Coronavírus. O impacto social e econômico com o fechamento das salas cirúrgicas e, consequente suspensão das atividades cirúrgicas eletivas, revela e reforça ainda mais a importância deste segmento para o setor.

Um levantamento realizado pela Federação Brasileira de Hospitais (FBH), entidade que representa mais de 4 mil estabelecimentos da rede privada hospitalar do país, constatou que a queda no faturamento dos hospitais, sobretudo de pequeno e médio porte, que representam 70% de toda a rede do país, chegou a 40% nesse período. A principal explicação foi a suspensão dos procedimentos eletivos. 

Um sistema de Rastreabilidade e Gestão de CME como o CMEXX ajuda o hospital a aumentar a capacidade cirúrgica, uma vez que, com a redução do desperdício e ganho de set up na linha de produção, disponibiliza um maior volume e diversidade de materiais a serem utilizados.

Um dos muitos benefícios do CMEXX está relacionado a um investimento financeiro, proporcionalmente baixo, relativo à sua aquisição, na fácil interface entre o usuário e a ferramenta e no alto impacto produtivo na cadeia de serviços hospitalares. 

O CMEXX moderniza todo o funcionamento da CME ao digitalizar processos que demandavam disponibilidade de tempo de mão de obra especializada, redobrada atenção para o recurso humano, devido ao risco elevado de erro no controle dos processos por meio de anotações físicas, que durante anos foram realizados com amontoados de papel e caneta. 

Além disso, a tecnologia proporciona um ganho operacional significativo na gestão dos centros-cirúrgicos, ao permitir a otimização de tempo, evitar e identificar possíveis erros ou desperdícios, e minimizar os atrasos em cirurgias por falta de material da CME.

Modernização a serviço da rentabilidade do hospital

Diante de tamanha importância que o centro-cirúrgico assume para sustentabilidade financeira do hospital, e com a demanda reprimida para esses procedimentos, o grande desafio imposto às gestões hospitalares para a retomada dos atendimentos será assegurar, por um lado, total segurança e execução de boas práticas nos procedimentos,  por outro, buscar estratégias que possibilitem ganho produtivo e gerencial nas salas cirúrgicas.

O FUTURO DAS CMEs

Grandes tecnologias são criadas não apenas para atender a objetivos operacionais. Antes, elas ajudam a melhorar a vida das pessoas, ao conferirem mais segurança e qualidade ao resultado do trabalho, minimizando o esforço. O CMEXX sinaliza para o futuro das Centrais de Materiais e Esterilização ao propor uma inteligência gerencial, que permite diminuir o esforço físico, ganhar tempo, eficiência, segurança e produtividade.

Com o CMEXX, leitores de QR Code passam a substituir pilhas de cadernos e canetas. De posse de um leitor óptico, com um único 'bip", é possível ao profissional ter acesso à identidade do material que será novamente esterilizado: seu histórico de utilização, de reprocessamento, quem usou, em qual paciente, quando e onde, entre outras coisas.

O trabalho fica mais leve e transparente, já que a garantia da rastreabilidade permite a verificação de todas as etapas do processo, e, com isso, a imediata identificação de falhas. 

O resultado também passa a ser mais seguro, visto que a possibilidade de erros humanos reduz significativamente. Todo o processo garante a aplicação de boas práticas de conduta, prevista nos protocolos hospitalares e nas legislações vigentes. 

"Nossa preocupação maior é com o resultado entregue a nosso paciente. Trabalhamos arduamente para desenvolver uma ferramenta que concilia o conceito operacional, prático, agregado às legislações vigentes, a experiência de 40 anos de mercado, com um nível de gestão administrativa e técnica do CME jamais pensado anteriormente. O alto executivo da unidade hospitalar, mesmo sem o conhecimento técnico específico, conseguirá visualizar todo o processo, analisar os indicadores e tomar decisões administrativas, de investimento, de processos de melhoria e, principalmente, terá capacidade de analisar os resultados obtidos com as decisões tomadas. Permanecemos trabalhando no processo de inovação e melhoria da ferramenta. Prometemos que virão mais novidades em um curto prazo de tempo.",  diz Marcus Negri, Diretor Médico da Bioxxi.



Website: http://cmexx.com.br

Veja também:

"Eu pensei: 'Vou morrer?'": a noiva surpreendida durante ensaio pela explosão no Líbano
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade