PUBLICIDADE

Mesmo após prisões e embargos, invasão e desmatamento continua no Embuarama, Embu das Artes

Ação efetuada pela Polícia Militar Ambiental resultou em duas prisões e multa no valor de 41 mil reais

20 fev 2017 12h15
ver comentários
Publicidade

Na última terça-feira (07), a Polícia Militar Ambiental efetuou duas prisões e multou em R$ 41.600 reais o proprietário de um terreno localizado próximo ao antigo Clube Paratodos, em Embu das Artes, por flagrante de infração ambiental em Área de Proteção Permanente.

As infrações incluem invasão, desmatamento de vegetação nativa e intervenção em área de nascentes.

A Guarda Civil Municipal (GCM) informou que quando começaram as denúncias uma equipe foi enviada ao local para proteger o ambiente, mas a mesma foi retirada após providências da PM Ambiental e do poder público.

Para Rodolfo Almeida, presidente da Sociedade Ecológica Amigos de Embu - SEAE, "Parece que a única forma de resolver seria a Prefeitura desapropriar o terreno, fazer a reintegração de posse e destinar a pequena parte que não tem matas, nascentes ou encostas para um equipamento público, como escola ou posto de saúde", revela.

Segundo informações obtidas junto à prefeitura, até o fechamento desta matéria o proprietário ainda não havia se manifestado para solicitar a reintegração de posse, o que dificultaria a ação das autoridades.

Entre os vizinhos, as desobediências aos embargos causam estranheza: "não levantaram ainda nenhuma bandeira de movimento, comentaram apenas que alguém os enviou para invadirem a área e prometeram casas", comenta um morador que preferiu não se identificar.

Ocupações irregulares são frequentes no local. Em março do ano passado, a comercialização de lotes sem aprovação e licenciamento chamou atenção da grande imprensa. Na ocasião, após denúncias de moradores e da SEAE, o terreno foi embargado pelo Ministério Público, mas por fiscalização falha, as infrações continuaram durante todo o ano.

Em janeiro deste ano, a prefeitura conduziu uma operação pacífica de desocupação, que voltou a acontecer.

Em uma rede social, moradores também se manifestaram: "Nem o governo municipal nem PM Ambiental estão dando um jeito e a mata está sendo derrubada. É revoltante ver o que esses invasores estão fazendo", desabafa um morador.

"Mesmo com vários embargos, nos diversos órgãos competentes e multas, uma das últimas áreas de proteção ambiental desta região de Embu das Artes, com 5 nascentes, o antigo Clube Paratodos está agonizando... Aonde está a justiça? Esperamos que a corregedoria da promotoria pública e polícia Federal, intercedam a favor dos reclamantes", revela a moradora.

Um processo corre na justiça desde 2011, mas até o momento o problema segue sem solução.

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
Publicidade
Publicidade