3 eventos ao vivo

Cosméticos veganos e naturais são tendência no mercado de beleza

3 fev 2020
10h18
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Quais as diferentes entre esses tipos de cosméticos e como identificar se eles, realmente, estão classificados dessa forma? A busca por cosméticos cada vez mais naturais proporcionam um verdadeiro boom na área da cosmética, fazendo com que as empresas que fabricam esses produtos tenham de se reinventar para atender a essa demanda.

Foto: hsmed / DINO

A procura por cosméticos éticos, que respeitem o meio ambiente, está ganhando relevância entre os que adoram produtos de beleza. De acordo com a Reds, empresa especializada na realização de pesquisas, apenas na Inglaterra, percebeu-se um crescimento de 50% no total de consumidores que buscaram cosméticos naturais. Segundo a mesma tendência, se tem que o mercado de produtos veganos deve crescer consideravelmente no ano de 2020, visto que a popularização de ideais que compartilham a utilização de produtos que não estejam associados ao sofrimento animal está cada vez mais forte. Da mesma forma que o mercado internacional, o mercado brasileiro busca inserir esses tipos de produtos no mercado e agradar ao consumidor. No entanto, para popularizar esses cosméticos, os produtores ainda encontram alguns desafios pela frente, dentre eles está a necessidade de evidenciar que tais cosméticos são tão bons e eficientes quanto os demais.

Ao analisar essas tendências e suas aplicações, identificou-se que, além da necessidade de popularização desses produtos, outro fator que influencia significativamente na aceitação deles é a falta de informação a respeito desses cosméticos e dos seus benefícios. Isso, porque, segundo os estudiosos, o Brasil não possui nenhuma legislação específica para regulamentar a fabricação de produtos cosméticos quanto à necessidade de atentar às informações do rótulo para a identificação da qualidade de cosméticos verdes. Tal fator faz com que muitas marcas utilizem a ideia de um produto "vegano" ou "natural" apenas como uma maneira de impulsionar as vendas e assegurar um bom marketing. Diante disso, vale a pena diferenciar o cosmético natural do vegano para que seja possível adquiri-los com as informações e a consciência necessária.

Cosmético Natural

Para que um determinado cosmético seja considerado natural é necessário que tenha, em sua composição, ao menos 95% de ingredientes considerados naturais, ou seja, que podem ser beneficiados quimicamente e, no restante de sua composição, isto é, 5%, é necessário que constem ingredientes orgânicos, nos conformes das legislações internacionais. Determinado ativo natural tem sua origem em um ser vivo que está disposto na natureza, podendo ser ele vegetal ou animal. Sabendo disso, é possível perceber que nem todos os cosméticos que são considerados naturais são veganos. Além da estrutura de sua composição, esse tipo de cosmético também precisa exercer uma atividade farmacológica no embelezamento da pele. Um grande exemplo disso é o uso da vitamina C na composição dos cosméticos, já que essa vitamina atua como um ativo natural e pode ser facilmente extraída de algumas frutas com alta concentração da substância. Apesar disso, a vitamina C não precisa chegar ao consumidor do cosmético de maneira essencialmente natural, tanto é que pode ser potencializada em laboratório para que tenha melhores efeitos.

Cosmético Vegano

Diferente do cosmético natural, o vegano é aquele em que se percebe a total ausência de ingredientes de origem animal e, consequentemente, não foi testado em animais. Não é difícil que as pessoas confundam os cosméticos veganos com os naturais, entretanto, quando da inexistência de qualquer tipo de ingrediente de origem animal para a composição do cosmético, a indústria pode recorrer a alternativas sintéticas e, assim, trabalhadas em laboratórios. Ainda que tenha essas especificações, é plenamente possível que determinado produto de beleza seja natural e vegano ao mesmo tempo, porém é preciso destacar que nem sempre eles estão necessariamente relacionados. A Cruelty Free International é responsável por ceder um selo, denominado The Leaping Bunny que atesta que toda a fabricação de um produto foi realizada sem crueldade ou teste em animais. É importante lembrar que isso não impede que um cosmético tenha ativos de origem animal, desde que seja extraído sem sofrimento.

Tratamento de manchas:

Os cosméticos veganos e naturais podem ser utilizados para combater manchas. Substâncias como vitamina C, óleo de rosa mosqueta, vitamina E, ginkgo e alguns tipos de ácidos podem ser utilizados no tratamento. A associação com tratamentos estéticos como o eletrocautério, equipamento que possui corrente alternada de baixa tensão e alta intensidade. Esse equipamento produz uma lesão mediada e controlada na superfície da pele, gerando ação despigmentante, indicado para o tratamento de manchas e remoção de micropigmentação.



Website: http://www.hsmed.com.br

Veja também:

Reajustes nas praças de pedágio entre Foz e Guarapuava começam a valer hoje (14)
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade