0

Consulta Profissional no Gerenciamento de Riscos: qual o perfil adequado?

30 out 2020
13h21
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Em agosto de 2020 — segundo levantamento da Polícia Rodoviária Federal (PRF) a pedido do Estradão —, as ocorrências de roubo de carga nas estradas federais brasileiras recuaram 27,1%. No período em questão, foram 59 casos frente aos 81 registros da mesma época do ano passado. 

Foto: DINO / DINO

Um número a ser analisado, considerando que, no País, mais de 60% das cargas são transportadas por rodovias, conforme revelaram os dados da Confederação Nacional do Transporte (CNT). O que estaria por trás da queda no número de ocorrências?

Na análise de Fabricio Beltrame, Diretor de Produtos da Bsoft — empresa com Know-how em desenvolvimento de software para gestão de transporte rodoviário de cargas —, buscando reduzir contratempos e chances de prejuízo, cada vez mais as transportadoras fazem uso do gerenciamento de riscos, conjunto de práticas adotadas para minimizar as chances de imprevistos nas operações.

Gerenciamento de riscos: ferramenta é aliada das transportadoras

Ainda segundo o Diretor de Produtos da Bsoft, a segurança no transporte rodoviário de cargas é um procedimento que não se aplica somente durante o percurso da mercadoria, pois vários fatores devem ser levados em conta antes de o veículo pegar a estrada

"Estas práticas, quando bem gerenciadas", explica Fabricio, "podem ajudar a prevenir problemas mecânicos, imprudência, acidentes causados pelas particularidades da carga, e até mesmo roubo".

O Diretor de Produtos esclarece que esta preocupação no setor de transportes tem se tornado cada vez mais presente e, diante disso, os transportadores têm buscado trabalhar com empresas focadas especificamente em indicadores e gerenciamento de riscos.

"Para facilitar ainda mais esse processo, alguns sistemas TMS oferecem integração com estas empresas, facilitando as verificações que precisam ser feitas, por meio da Consulta Profissional no Gerenciamento de Riscos", complementa.

Para entender como funciona o Gerenciamento de Riscos e como integrar esta etapa da logística e garantir mais segurança para a transportadora, vale conferir a entrevista completa com Fabricio Beltrame, Diretor de Produtos da Bsoft:

O que é Gerenciamento de Riscos?

O Gerenciamento de Riscos é responsável por mapear todas as possibilidades de risco no transporte da carga. Por exemplo: se o veículo é o ideal para realizar o transporte de determinada carga, se a mercadoria possui alto risco de roubo, se a rota escolhida é a ideal e se o profissional é adequado para realizar o transporte.

A partir disso, a gerenciadora de riscos pode conduzir o transportador a manter a sua operação de transporte da forma como foi planejada, ou optar por outras alternativas que garantam o cumprimento da prestação de serviço com a maior margem de segurança e a menor chance de problemas.

E o motorista? Há algum monitoramento do trabalho desse profissional?

Sim, pois sabemos que grande parte da responsabilidade pelo transporte seguro da carga é atribuída ao motorista. Por isso mesmo, as gerenciadoras passaram a monitorar estes profissionais de forma pontual. O que, até mesmo para a classe se tornou algo vantajoso, já que com esta ferramenta os motoristas podem ter sua boa reputação e qualificações comprovadas.

Como acontece o Gerenciamento de Riscos?

Pra começar, a Consulta Profissional envolve duas etapas, que são a consulta do profissional encarregado pelo transporte e a consulta da ficha da viagem. 

Com relação à Consulta do Profissional, quais modalidades estão inclusas?

A consulta se aplica a todos os profissionais envolvidos no processo logístico, como motorista, ajudante ou agregado. Estes profissionais constroem um "score", espécie de pontuação adquirida de acordo com sua reputação. 

Como funciona a consulta?

A consulta do profissional acontece com base no cruzamento de informações sobre as cargas de milhares de empresas. A reputação do profissional é construída considerando quesitos, como: experiência profissional, referências pessoais, capacitação profissional, validade e situação da CNH no DETRAN, histórico de sinistro e avarias, situação do CPF na Receita Federal e situação judicial ou histórico forense.

Diante destas verificações — feitas nos bancos de dados das gerenciadoras de riscos —, o retorno da consulta informa se o perfil do profissional está adequado ao risco, insuficiente ou divergente para a realização da viagem.

Por que é importante fazer a Consulta Profissional?

Para as empresas, a Consulta Profissional é importante porque garante mais segurança para a empresa. Além do mais, a consulta valoriza o bom profissional. Em resumo: quanto maior o score do profissional — motorista, ajudante ou agregado —, maior sua confiabilidade e sua remuneração pode aumentar.

Para além da Consulta Profissional, quais verificações são feitas para dar suporte às transportadoras?

Vale destacar a Ficha de viagem. Além da consulta feita ao participante da operação, esta pesquisa faz uma inspeção conferindo variáveis, como: origem e destino, produto transportado, valor da carga, dados do veículo e cliente/embarcador.

Levantamentos que ajudam a compreender fatores cruciais, como: risco de assalto ou roubo em determinadas rotas, carga com alto risco de roubo, veículo com histórico de acidentes ou possíveis históricos com o embarcador da carga. Assim, é possível traçar um panorama completo a respeito de todo o risco possível durante o transporte.

Como ter acesso à consulta profissional no gerenciamento de riscos?

Para contar com os benefícios da integração da consulta profissional com o software para gestão de transportadoras, em primeiro lugar a empresa deve contratar uma gerenciadora de riscos. Em seguida, é necessário ter um sistema TMS que ofereça a integração com estas empresas e ofereça a consulta em suas operações.

Sistema TMS: essencial para o Gerenciamento de Riscos

Para finalizar, o Diretor de Produtos da Bsoft destaca que a possibilidade de reaproveitar as informações já inseridas em outras operações, como cadastro de motoristas, minutas, e até mesmo na tela de emissão de CT-e está entre as grandes vantagens em integrar a consulta profissional no gerenciamento de riscos à ferramenta de gestão de transportes.

Com isso, toda a operação de consulta sobre os possíveis riscos da operação pode ser feita pelo mesmo software de gestão de frotas, sem a necessidade de usar outras ferramentas, ou até mesmo sair do sistema de gestão para concluir a consulta", informa.

Fabricio ainda afirma que "o sistema TMS da Bsoft, Controle de Transportadoras, oferece integração com as principais gerenciadoras e disponibiliza a integração com a consulta profissional no gerenciamento de riscos para obtenção dos possíveis perigos no transporte de cargas", conclui.

Para mais informações sobre Consulta Profissional no Gerenciamento de Riscos e Sistema TMS, além de amplo conteúdo sobre CT-e, MDF-e, Gestão de Transporte, Gestão de Frotas, EDI, CIOT, sistema para transportadora e emissor de CT-e, basta acessar o site da Bsoft: https://bsoft.com.br/



Website:

https://bsoft.com.br/

Veja também:

BPFron detém passageiro de ônibus com 23 quilos de haxixe, em Cascavel
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade