2 eventos ao vivo

Como lucrar na Black Friday usando o Big Data

Saia na frente: antecipe suas estratégias e prepare seu cadastro para a Black Friday e as festas de final de ano

7 nov 2017
15h54
  • separator
  • 0
  • comentários

Naturalmente, o fim de ano é caracterizado por oferecer grandes oportunidades de venda a diversos segmentos de mercado devido a datas comemorativas e promocionais. Uma delas é a Black Friday, termo criado pelo varejo nos Estados Unidos para nomear a ação de vendas anual que acontece na sexta-feira após o feriado de Ação de Graças no país. No Brasil, é o maior evento de e-commerce do ano e, em 2017, ocorrerá no dia 24 de novembro, com expectativa de aumento de faturamento em até 20%. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Google, dois terços das compras efetuadas durante o evento são feitas em sites já conhecidos pelos consumidores. Assim sendo, é imprescindível, para empresas que desejam se destacar, traçar consistentes estratégias de venda e comunicação.

Foto: DINO

Para organizar uma liquidação, é importante definir se a empresa participará com lojas físicas, online ou em ambos os canais, assim como agregar a carteira de clientes com potenciais compradores. Substancial no meio web, a comunicação através de campanhas de marketing digital e o uso de ferramentas inerentes a esse universo podem tornar um negócio conhecido antes da data, potencializando suas expectativas de lucro. Não somente com vista a aumentar o fluxo de consumidores no e-commerce durante o período, esta é uma oportunidade para conquistar novos clientes fiéis, aumentando seu ciclo de vida na empresa.

Os sites de pesquisa, comparação e compra trouxeram mais poder para o consumidor, que agora passa a influenciar diretamente nas ações das organizações. Ao mesmo tempo, o avanço do Big Data e das tecnologias de armazenagem de dados e informações de compradores auxiliam as empresas nas práticas de CRM. Os formulários coletados por sites de compra devem ser usados de forma perspicaz para compreender pelo que o usuário realmente busca. O e-mail marketing, por exemplo, tinha a função de destacar a essência da companhia e, hoje, é usado também como estratégia de fidelização, percebendo os desejos pessoais do consumidor.

Nesse sentido, saber o que fazer e como aprimorar o banco de dados é uma das principais questões, uma vez que muitas empresas ainda não se utilizam dos recursos disponíveis para expandir a capacidade de interação com o cliente. Ainda não executado por antigos modelos de organização, unir inteligências de marketing e TI é importante para entender o perfil do usuário e, assim, realizar ofertas pertinentes aos seus hábitos de consumo. Logo, um dos primeiros passos para ter retorno em vendas é deter um cadastro de clientes completo e aproveitável, possibilitando melhor conhecimento do público e a criação de estratégias de negócio mais produtivas.

Higienizar e enriquecer a base de dados são processos essenciais para a otimização dos trabalhos realizados pelas diversas áreas da empresa, não somente pelo marketing. Tais procedimentos, eficientes e de baixo custo, colaboram com as operações comunicacionais por meio da redução do volume de mala direta e correspondências devolvidas, além de proporcionar economia da verba. Primeiro, higieniza-se o cadastro através de um software que valida endereços, recupera partículas do logradouro e DDD, e insere dados atualizados, mantendo-o íntegro e qualificado. Depois, o serviço de enriquecimento adiciona informações - cadastrais, socioeconômicas e psicográficas - à base, permitindo a implementação de novos canais de contato com cada perfil de consumidor e a segmentação da audiência.

Afinal, é importante frisar que os principais bureaus de dados do mercado, como a TargetData, que atua há mais de 15 anos no Brasil, possuem atualizações periódicas de suas bases de dados. Isto posto, é notável a chance de agregação de novas informações, viabilizando uma melhora substancial na assertividade das ações de marketing direto e das diversas áreas empresariais. Um procedimento rotineiro realizado pela TargetData, por exemplo, é a higienização da base de e-mails, em que se identificam e-mails hardbounces (não mais existentes) no cadastro e os substituem por outros já validados. De forma direta, quanto maior for a quantidade e a qualidade dos dados a serem trabalhados, maior será a chance de o consumidor ter uma boa experiência de compra e retornar ao site em ocasiões futuras.


Ivana Avellar - Marketing e Produtos



Website: http://www.targetdata.com.br

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade