3 eventos ao vivo

Biomassa: fonte renovável de energia abastece indústria de papel e celulose

A geração desse tipo energia renovável ocorre por meio da queima de resíduos e sobras da madeira, provenientes de florestas plantadas utilizadas na própria produção.

1 abr 2021
08h52
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O desenvolvimento econômico caminha junto com a sustentabilidade e a responsabilidade social. O conceito é vital para que empresas se destaquem no mercado. Entre as ações responsáveis pelo crescimento no setor produtivo de papel e celulose está a utilização de energia renovável, como a biomassa de resíduos de madeira.

Foto: FREE PIK / DINO

A geração dessa energia é produzida a partir da queima de resíduos e sobras da madeira de florestas plantadas. Esse processo emite menos poluentes se comparado aos tradicionais combustíveis fósseis. Além da questão ambiental, a produção própria de energia limpa possibilita ganho de competitividade.

É o caso da Paper Excellence, multinacional responsável pela produção de mais de 5 milhões de toneladas de papel e celulose por ano. "Atualmente, mais de 80% da energia consumida na produção das fábricas da Paper provêm de fonte renovável, como a biomassa", revela o conselheiro da empresa no Brasil, Josmar Verillo.

A geração própria de energia gera um ganho para o meio ambiente e ao mesmo tempo para a empresa, que ganha em produtividade. São ações como essa que fazem com que empresas como a Paper Excellence mantenham planos de investimento e até de ampliação no país, mesmo diante dos percalços econômicos provocados pela pandemia do coronavírus. "O Brasil é um país com uma enorme capacidade de surpreender positivamente. Por isso temos certeza de que nosso projeto no Brasil tem tudo para avançar e alcançar os melhores resultados", afirma Josmar Verillo.

Desde 1990, a empresa eliminou quase 2 milhões de toneladas de gases de efeito estufa por meio de projetos de modernização e fechamento de fábricas antigas e ineficientes. Verillo explica que isso equivale a tirar cerca de 500.000 veículos das estradas.

Produção de energia própria

Por meio de equipamentos modernos, a eletricidade produzida pela queima da biomassa é consumida na fábrica. O excesso é enviado de volta para a rede elétrica, contribuindo para o abastecimento de consumidores residenciais. São utilizados dois tipos de caldeiras para geração de vapor: a caldeira de recuperação em que os materiais orgânicos são queimados para produzir vapor de alta pressão, e a caldeira de biomassa, que queima principalmente casca e outros resíduos de madeira produzidos durante o processo de moagem. 

Conforme explica Josmar Verillo, "as equipes operacionais são treinadas para monitorar o uso de energia e tomar medidas para reduzir quando o processo está operando fora de sua faixa pretendida. Usamos o nosso banco de dados de energia, em tempo real, para calcular qual será o impacto do nosso gás de efeito estufa"

Há ainda um padrão internacional certificado (ISO 50001: 2018) para sistemas de gerenciamento de energia. "O objetivo é seguir uma abordagem sistemática para alcançar a melhoria contínua do desempenho energético, incluindo eficiência, uso e consumo de energia", afirma Verillo.

Formado em administração de empresas pela PUC-SP, Josmar Verillo é atual conselheiro da Paper Excellence no Brasil. Antes, atuou como diretor geral do Grupo Klabin, foi presidente da Alcoa América Latina, presidente da Bahia Pulp e diretor superintendente da Tonon Bioenergia.



Website: http://www.paperexcellence.com

Veja também:

Paraná recebe cerca de 360 mil doses da vacina contra Covid-19
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade