PUBLICIDADE

Neve, ventania e muito ar frio: tudo por causa de um ciclone

Ciclone atípico, que pode passar de extratropical para subtropical, vai represar o ar frio de origem polar sobre o interior do Brasil.

15 mai 2022 23h51
| atualizado em 16/5/2022 às 01h57
ver comentários
Publicidade

Semana será condições de tempo especiais, que não são observadas com frequência. Ciclone atípico, que pode passar de extratropical para subtropical, vai represar o ar frio de origem polar sobre o interior do Brasil. 

Quem acompanha o site da Climatempo e nossas redes sociais já está ciente de que teremos uma semana com diversos eventos meteorológicos intensos. De neve a uma onda de muito frio, ou ainda ventania e alerta para ressaca em áreas costeiras. Tudo isso está associado com a formação de um forte sistema meteorológico: um ciclone extratropical que poderá se transformar em um subtropical.

Caso isso ocorra, ele ganhará um nome definido pela Marinha do Brasil, "Yakecan", que significa "o som do céu". Em 2021 foram observados três ciclones subtropicais: Ubá (canoa idígena), em dezembro (grande guerreiro), Raoni, em junho e Potira (flor), em abril.

O ciclone subtropical é um sistema híbrido. Isso significa que ele está no meio termo entre um extratropical e um tropical. A Climatempo tem uma matéria especial sobre esse tipo de formação.

O sistema começou a se organizar no domingo (15), associado a uma frente fria que já provocou chuva sobre os estados de Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Foto: Climatempo

Semana tem ventania provocada por um ciclone (Foto: Getty Imagens)

Mas é nesta segunda-feira (16), que o centro de baixa pressão atmosférica, na costa do Rio Grande do Sul,  pode fazer a transição mantendo algumas características extratropicais, mas também apresentando ventos dignos de sistema tropical. A previsão da Climatempo indica que a reclassificação do sistema meteorológico para ciclone subtropical ocorra na terça-feira (17), dia em que teremos ventos intensos, neve e um centro de baixa pressão em torno de 990hPa, o que indica uma condição de tempo severa.

A animação mostra projeção futura da intensificação do centro baixa pressão atmosférica sobre o mar, na costa do Rio Grande do Sul, indicada pela letra L (de low, em inglês) e seu movimento atípico indo para o continente, entre a noite do domingo, 15 de maio, e a quinta-feira, 19 de maio de 2022. Este sistema origina um ciclone extratropical que poderá se transformar em ciclone subtropical. Centros de baixa pressão atmosférica com menos de 1000 hPa são potencialmente perigosos e provocam rajadas de vento de 100 km/h ou maiores. As linhas brancas indicam isóbaras, linhas que unem pontos com o mesmo valor de pressão atmosférica, que no caso são medidas em hectopascais (hPa). As manchas em tons de roxo/rosa indicam a velocidade do do vento que está em quilômetros por hora. O tom de roxo claro e brilhante indica as velocidades mais elevadas, acima de 80 km/h. Esta é uma reprodução do site windy.com, baseada no modelo de previsão europeu ECMWF.

 

Neve e onda de frio intensa

O posicionamento do ciclone na região costeira gaúcha vai fazer com que haja infiltração de umidade em uma atmosfera muito fria. Isso vai possibilitar a ocorrência de neve ou chuva congelante em áreas de serra de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul já na noite de terça-feira (17) e ao longo da quarta-feira (18). Até o sul do Paraná poderá ter estes tipos de precipitação.

Ar gelado invade o interior do Brasil

A "herança" da condição extratropical também se manifesta em forma de ar frio que avança por todo o centro-sul brasileiro favorecendo uma queda brusca e muito acentuada de temperatura. 

Durante a semana, muitos recordes de menores temperaturas do ano podem ser batidos em diversas capitais, até alguns recordes históricos podem ser observados.

São Paulo poderá ter a menor temperatura para um dia de maio desde 1990, quando o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registrou 5,8°C em 23/05/1990. 

Com previsão de temperaturas de 5°C, as capitais Brasília e Goiânia poderão ter o frio mais intenso, para um dia de maio, desde 1977

Com o afastamento da umidade a partir de quarta, entra em cena a geada, que até a sexta-feira (20), pode ocorrer em diversas áreas do Paraná, Mato Grosso do Sul, interior paulista e sul de Goiás, e também na região do Triângulo Mineiro e do Sul de Minas Gerais

Foto: Climatempo

Estimativa da temperatura às 6h de 19/05/2022, de acordo com o modelo GFS

 

Alerta para ventania e mar agitado

Uma grande variação de pressão atmosférica também vem acompanhada de ventania. É isso que acontece com todo o leste do Rio Grande do Sul a partir da terça-feira, 17 de maio, devido a presença do ciclone. 

O alerta da Climatempo é para rajadas de vento em torno dos 100km/h. 

Os demais estados da Região Sul também sentirão as rajadas de vento forte alcançando velocidades entre 80km/h e 90km/h. Os ventos ganham força ao longo do dia 17 de maio até em áreas dos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Com a formação de uma pista de ventos no oceano, o mar ficará bastante agitado durante a semana. A Marinha do Brasil alerta para condições de ressaca entre a costa do Rio Grande do Sul ao Rio de Janeiro com ondas de pelo menos 2,5 metros.

Neve, ventania e muito ar frio, tudo por causa de um ciclone!

Climatempo
Publicidade
Publicidade