0

Cana é alternativa para o setor de biocombustíveis

Produção de açúcar deverá atingir 31,8 milhões de toneladas

3 set 2019
10h29
atualizado às 10h38
  • separator
  • 0
  • comentários

A cana-de-açúcar é considerada uma das grandes alternativas para o setor de biocombustíveis devido ao grande potencial na produção de etanol e seus respectivos subprodutos. A agroindústria sucroalcooleira nacional, diferentemente do que ocorre nos demais países, opera numa conjuntura positiva e sustentável.

A partir da safra 2019/20, a Conab passa a disponibilizar para o público as estatísticas totais de etanol, englobando as informações sobre o etanol à base de cana-de-açúcar e de milho, cereal que assume definitivamente papel de destaque na produção do combustível, gerando sustentabilidade aos produtores, particularmente os situados nos estados centrais.

Etanol total de cana-de-açúcar: a estimativa de produção é de 3o,3 bilhões de litros, decréscimo de 6,4% em relação à safra passada.

Etanol total de milho: a produção total de etanol à base de milho deverá atingir, na safra 2019/20, 1,35 bilhão de litros, representando acréscimo de 70,3% em relação ao exercício anterior.

Etanol anidro de cana-de-açúcar: a produção de etanol anidro oriundo da cana-de-açúcar, utilizado na mistura com a gasolina, terá aumento de 12,6%, alcançando 10,5 bilhões de litros.

Etanol anidro de milho: a produção de etanol anidro a partir do milho está estimada em 402,1 milhões de litros, sendo 71,6% superior à temporada passada.

Etanol hidratado de cana-de-açúcar: o total produzido proveniente da cana-de-açúcar deverá ser de 19,8 bilhões de litros, redução de 14,1% em relação à safra passada.

Etanol hidratado de milho: a produção de etanol hidratado a partir do milho está projetada em 945,7 milhões de litros, sinalizando aumento de 69,7% em comparação a 2018/19.

Açúcar: a produção de açúcar deverá atingir 31,8 milhões de toneladas, crescimento de 9,5% em relação ao produzido na safra 2018/19.

Fonte: Conab

AgroclimaPro 

Você já está preparado para o início da primeira safra? É preciso começar já o planejamento para garantir o desenvolvimento sadio das lavouras, não é mesmo?

A Climatempo mantém a previsão de atraso no início da regularidade das chuvas, sendo esperadas precipitações dentro da frequência normal somente a partir do fim de outubro. Esse prognóstico traz a possibilidade de atrasos também no início da primeira safra, o que pode impactar toda a janela de cultivo, influenciando também na régua da segunda safra.

Você conhece a Campanha Safra em Dobro do Agroclima Pro?

Funciona assim: O cliente compra a 1ª safra (6 meses) e ganha a safrinha (+6 meses). 

Aproveite a promoção porque seu planejamento precisa estar em dia. Muito mais informação para ajudar você a tomar a decisão e garantir a rentabilidade de sua lavoura.

Foto: Climatempo
Climatempo
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade