PUBLICIDADE

Brasil volta a ter temperatura negativa em semana gelada

Nova massa de ar frio de origem polar, muito forte, passa sobre o centro-sul do país esta semana. Saiba quais estados vão ter temperatura abaixo de 0°C.

18 jul 2021 01h50
ver comentários
Publicidade

Foto: Urupema (SC), por Marilia Sutil - Ag São Joaquim Online

Uma grande e forte massa de ar frio de origem polar passa sobre o centro-sul do Brasil nos próximos dias causando temperaturas muito baixas em vários estados. Os termômetros voltam a marcar valores abaixo de 0°C no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Minas Gerais. A semana começa congelante e termina fria. 

Recorde de frio no Brasil em 2021

Até o dia 17 de julho, a menor temperatura registrada oficialmente no Brasil, em locais habitados, foi de -7,5°C, em 29 de junho,  na cidade de Bom Jardim da Serra, na região serrana de Santa Catarina, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia. No mesmo dia fez -6.5ºC em Urupema, também na serra catarinense, pela medição do Epagri/Ciram

No dia 1 de julho houve registro de -9,9°C na estação localizada no parque nacional do Itatiaia, a 2450 m de altitude. Por ser um lugar desabitado, a Climatempo adota como critério não considerar os dados desta estação para efeito de temperaturas recordes no Brasil.

Frio abaixo de 0°C em vários estados

Esta nova e forte massa de ar frio de origem polar começou a gelar o Sul do Brasil no domingo, 18 de julho, mas o frio vai aumentar até a terça-feira, 20 de julho. Até lá, temperaturas cada vez mais baixas serão observadas no centro-sul do Brasil.

Nesta segunda-feira, 19 de julho, há condições para ocorrência de temperaturas abaixo de 0°C, ou positivas, mas muito próximas de 0°C, no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina, no Paraná, em São Paulo, em Mato Grosso do Sul e no Sul de Minas

Na terça-feira, 20 de julho, há risco de temperaturas abaixo de 0°C, ou positivas, mas muito próximas de 0°C, no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina, no Paraná, em São Paulo, em Mato Grosso do Sul, no Sul de Minas, nas áreas mais elevadas no sul do Rio de Janeiro (serra da Mantiqueira)

Para quarta-feira, 21 de julho, ainda há previsão de temperaturas negativas, ou positivas, mas muito próximas de 0°C no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina, no Paraná, em São Paulo, no Sul de Minas, nas áreas mais elevadas no sul do Rio de Janeiro (serra da Mantiqueira).

Friagem na Região Norte

Esta semana, esta massa de ar frio vai causar friagem em Rondônia, no Acre e no sul do Amazonas, mas que  não será intensa como na passagem de outra forte massa de ar frio entre junho e julho.

O ar frio também vai atingir o norte de Goiás, o Distrito Federal, o Espírito Santo, o norte e o leste de Minas Gerais e o sul da Bahia, mas não com força para provocar temperaturas negativas. É possível que a temperatura fique um pouco abaixo dos 10°C na região serrana capixaba e no leste de Minas Gerais.

O caminho do ar frio

Esta nova massa de ar frio polar passa sobre o Brasil com forte intensidade. O centro do ar frio (região de frio mais intenso), passará sobre a Região Sul durante a segunda-feira, 19 de julho, e depois vai avançar para leste de São Paulo, no dia 20. No dia 21 de julho, o centro da massa de frio já estará totalmente sobre o mar, próximo ao litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro, mas madrugada do dia 21 ainda será muito fria no Sul e no Sudeste do Brasil. O frio começa a diminuir no dia 22, com o maior afastamento do centro da massa de ar de origem polar.

O infográfico mostra o previsão de deslocamento do centro desta nova massa de ar frio de origem polar, entre os dias 18 e 21 de julho de 2021.

Foto: Climatempo

Projeção do deslocamento do centro de uma massa de ar frio, de origem polar, entre 18 e 21 de julho de 2021

Noites sem nuvens são mais geladas

Toda a massa de ar frio, de origem polar, é uma sistema de alta pressão atmosférica, que vem junto  (na retaguarda) com uma frente fria. A região central de uma massa de ar frio é a parte onde a pressão atmosférica é mais alta e onde as temperaturas ficam mais baixas. 

O centro de alta pressão atmosférica causa intensa subsidência do ar, que é um movimento de cima para baixo, que é inibidor de formação e de crescimento das nuvens. Por isso, quando o ar frio de origem polar atua forte sobre uma região é comum termos dias de céu azul, praticamente sem nuvens. A medida que o centro de massa de ar frio vai se afastando, o efeito de subsidência enfraquece e algumas nuvens começam a surgir.

Foto: Climatempo

Noite com pouca ou nenhuma nebulosidade permite o maior resfriamento do ar

A falta de nebulosidade em noites com a presença de ar frio de origem polar acentua o resfriamento fazendo com que as temperaturas fiquem ainda mais baixas. As noites muito frias e sem nuvens, ou com poucas nuvens, são favoráveis a formação da geada, que é o congelamento do orvalho que forma sobre a vegetação e outras superfícies.

Climatempo
Publicidade
Publicidade