0

Quantas vezes o cérebro precisa ser exposto a uma palavra para aprendê-la?

Especialistas estimam número médio, mas ressaltam que ele varia de acordo com a complexidade da palavra; estímulos sonoros e visuais ajudam a fixar novo vocabulário.

28 nov 2017
06h34
atualizado às 07h44
  • separator
  • comentários

Muita gente certamente já se perguntou quantas vezes precisa escutar uma palavra para incorporá-la ao vocabulário. Seriam necessárias cinco, dez, vinte vezes?

Em um estudo conduzido em 1965, os especialistas em educação e psicologia David Ausubel e Mohamed Youssef foram categóricos em dizer que um estudante precisaria ser exposto a uma palavra 17 vezes antes de aprendê-la e passar a usá-la.

Especialistas dizem que para aprender e se lembrar da maioria das palavras é necessário repetição e estímulos sonoros e visuais
Especialistas dizem que para aprender e se lembrar da maioria das palavras é necessário repetição e estímulos sonoros e visuais
Foto: Getty Images / BBCBrasil.com

Outras pesquisas apontam para uma média que varia entre 15 e 20 vezes.

Mas Catherine Snow, professora de educação na prestigiada Universidade Harvard, nos EUA, pondera que existem diferentes condições de aprendizado e, às vezes, basta ouvir a palavra uma única vez para aprendê-la.

"Você pode apontar para algo e dizer a palavra. Com isso, as crianças podem aprender, se lembrar dela e passar a usá-la a partir desse momento. Mas há muitas palavras cujo significado não dá para personificar em um objeto ou imagem", observa a especialista.

Catherine Snow afirma que, em média, exposição de 15 a 20 vezes bastam para aprender uma palavra | Foto: Universidade Harvard
Catherine Snow afirma que, em média, exposição de 15 a 20 vezes bastam para aprender uma palavra | Foto: Universidade Harvard
Foto: BBCBrasil.com

Snow diz ainda que há muitos aspectos sobre as palavras para se aprender. "Não apenas as pronúncias ou o que significam, mas também o contexto adequado para usá-las."

Assim, explica a professora, algumas exigem mais repetições que outras. Ela afirma que a estimativa de 15 a 20 vezes serve como uma média entre o aprendizado de palavras mais fáceis e mais difíceis - ou seja, aquelas com significado simples e as mais complexas.

Aprender idioma estrangeiro

No caso do aprendizado de uma segunda língua, avalia Catherine Snow, espera-se que os estudantes aprendam uma média de 200 palavras por semana. "Mas não podemos assegurar que eles vão se lembrar dessas palavras", salienta.

A estratégia usada por muitos professores é ensinar essas 200 palavras e garantir que os alunos estejam expostos a elas cinco vezes em um dia, quatro no próximo e três vezes nos dois seguintes.

"E uma ou duas vezes na semana seguinte. Dessa forma, são muitas as possibilidades de que o aluno escute ou leia essas palavras. Assim, é possível assegurar a consolidação da memória", observa a especialista, referindo-se ao processo de transformação das lembranças de curto prazo em longo prazo.

O uso de fotos ajuda a fixar novas palavras
O uso de fotos ajuda a fixar novas palavras
Foto: Getty Images / BBCBrasil.com

Aprendizado varia com idade?

A professora de Harvard diz que o ensino de idiomas estrangeiros é uma das poucas formas que permite medir a frequência que uma palavra é exposta. "Com crianças pequenas, não sabemos com que frequência usamos uma palavra antes que tenham aprendido", justifica.

Para ela, a partir dos 15 anos estudantes são mais eficientes em aprender. Já podem fazer isso sozinhos e usar referências bibliográficas para reforçar os conhecimentos. "Então, creio que os mais jovens provavelmente precisam de mais exposição."

Questionada sobre qual a quantidade de vezes que um cérebro precisa estar exposto para aprender um idioma, Snow admite que, apesar de possível, são poucas as chances de se aprender uma palavra já na primeira exposição.

"Também é mais difícil ensinar palavras sem as relacionar entre si", observa.

Para registro na memória de longo prazo, é preciso treinar ortografia, semântica e fonética das palavras
Para registro na memória de longo prazo, é preciso treinar ortografia, semântica e fonética das palavras
Foto: Getty Images / BBCBrasil.com

Estratégia para aprender mais rápido

Snow explica qual a estratégia que usa com seus alunos.

Primeiro, ela mostra uma foto relacionada a um tema que interesse os estudantes e os faz a pensar sobre as palavras das quais realmente precisam para falar sobre esse tópico.

Em seguida, ela apresenta leituras e cria oportunidades que eles escrevam as palavras relacionadas ao tema. Assim, diz a professora, elas vão se repetir muitas vezes.

Snow assinala ser muito importante praticar a forma oral e escrita das palavras, pois isso ajuda a formar a chamada representação léxica de alta qualidade, que inclui ortografia, semântica e fonética detalhada.

"Há palavras que conhecemos, apesar de não termos certeza de como as soletramos ou são pronunciadas. Ainda assim, podemos entendê-las quando as lemos. Essas palavras são frágeis no nosso vocabulário", observa a professora.

A solução, diz ela, é fazer com que os alunos entendam como usá-las - assim fica mais fácil de elas serem lembradas.

BBCBrasil.com BBC BRASIL.com - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC BRASIL.com.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade