PUBLICIDADE

Nobel de Medicina vai para David Julius e Ardem Patapoutian

Pesquisadores de universidades dos EUA foram laureados conjuntamente "por suas descobertas de receptores para temperatura e tato"

4 out 2021 06h53
| atualizado às 08h03
ver comentários
Publicidade
Anúncio do Prêmio Nobel de Medicina para David Julius e Ardem Patapoutian, em Estocolmo
Anúncio do Prêmio Nobel de Medicina para David Julius e Ardem Patapoutian, em Estocolmo
Foto: EPA / Ansa

O Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina de 2021 foi concedido conjuntamente a David Julius e Ardem Patapoutian "por suas descobertas de receptores para temperatura e tato", anunciou Thomas Perlmann, secretário do Comitê Nobel, na manhã desta segunda-feira (4).

Ardem Patapoutian nasceu em 1967 em Beirute, Líbano. Em sua juventude, mudou-se de uma Beirute devastada pela guerra para Los Angeles, nos Estados Unidos. Em 1996, concluiu o doutorado no Instituto de Tecnologia da Califórnia, em Pasadena. O pós-doutorado foi obtido na Universidade da Califórnia, San Francisco. Desde 2000, ele é um cientista na Scripps Research, La Jolla, Califórnia, onde agora é professor. Patapoutian é também pesquisador do Howard Hughes Medical Institute desde 2014.

David Julius nasceu em 1955 em Nova York, Estados Unidos. Ele concluiu o doutorado em 1984 na Universidade da Califórnia, Berkeley, e fez pós-doutorado na Universidade de Columbia, em Nova York. David Julius foi recrutado para a Universidade da Califórnia, em São Francisco, em 1989, onde agora é professor.

Os vencedores do prêmio descobriram como os impulsos nervosos são iniciados para que a temperatura e a pressão possam ser percebidas. David Julius utilizou a capsaicina, um composto da pimenta malagueta que induz uma sensação de queimação, para identificar um sensor nas terminações nervosas da pele que responde ao calor. Já Ardem Patapoutian usou células sensíveis à pressão para descobrir uma nova classe de sensores que respondem a estímulos mecânicos na pele e órgãos internos.

"Isso realmente revela um dos segredos da natureza", disse Perlmann. "É uma descoberta muito importante e profunda porque é crucial para a nossa sobrevivência", afirmou.

Havia uma expectativa para que o prêmio deste ano fosse concedido a pesquisadores envolvidos no desenvolvimento da vacina de mRNA contra a covid-19, tecnologia considerada revolucionária. Eles ainda podem ser laureados com o Prêmio Nobel de Química.

O prêmio do ano passado foi para três cientistas que descobriram o devastador vírus da hepatite C. O achado levou à cura da doença mortal e ao desenvolvimento de testes para evitar que o flagelo se espalhe pelos bancos de sangue.

O prestigioso prêmio vem com uma medalha de ouro e 10 milhões de coroas suecas (mais de R$ 6,1 milhão). O prêmio em dinheiro vem de uma herança deixada pelo criador do prêmio, o inventor sueco Alfred Nobel, que morreu em 1895.

O prêmio de fisiologia ou medicina é o primeiro a ser concedido este ano. Veja a agenda:

  • Terça-feira (5): Prêmio Nobel de Física
  • Quarta-feira (6): Prêmio Nobel de Química
  • Quinta-feira (7): Prêmio Nobel de Literatura
  • Sexta-feira (8): Prêmio Nobel da Paz
  • Segunda-feira (11): Prêmio Nobel de Economia
Estadão
Publicidade
Publicidade