PUBLICIDADE

Virgílio diz que 'subirá escadaria da Penha de joelhos' se Aécio deixar PSDB

23 nov 2021 16h23
ver comentários
Publicidade

Em mais um round na troca de acusações entre os tucanos por conta da disputa das prévias presidenciais, o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio reclamou do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, tê-lo chamado hoje de "laranja", numa entrevista para a CNN Brasil, dando a entender que ele estaria fazendo campanha em favor do governador de São Paulo, João Doria. Para Arthur, Leite está "muito mal aconselhado" pelo deputado federal Aécio Neves (MG), um dos coordenadores da campanha do governador gaúcho.

Para o ex-prefeito, Aécio é "uma pessoa nociva para o partido". "Se o Aécio deixar o partido eu vou subir de joelhos a escadaria da Penha. Ele é uma pessoa nociva para o partido", disse. O governador Eduardo Leite está fazendo um jogo de quem não quer as prévias", acrescentou.

Com a suspensão das prévias por causa da falha do aplicativo de votação, os nervos ficaram mais à flor da pele entre os tucanos. Sem ainda conseguir definir qual será a alternativa técnica para retomar a votação, desde o domingo os candidatos do partido têm trocado acusações. O próprio Arthur Virgílio acusou Aécio de ser uma "maçã podre" dentro do PSDB. Candidato do partido na disputa presidencial de 2014, Aécio respondeu ontem justamente acusando o ex-prefeito de ser uma espécie de linha auxiliar da campanha de Doria.

"Faz muito tempo que o Arthur Virgílio se transformou numa figura pouco relevante no PSDB, onde ninguém o leva muito a sério. Em 2018, já tínhamos visto esse filme, quando, sem qualquer apoio, se declarou candidato contra Alckmin em troca de alguma visibilidade, e, ao final, saiu desferindo ataques violentos ao candidato e ao partido.

Mas poucos acreditavam que, dessa vez, ele se prestaria ao papel de linha auxiliar da candidatura de João Doria e, mais grave, com financiamento do partido para isso. Triste desfecho para uma longa trajetória. Por outro lado, eu até me diverti com a analogia com frutas que ele fez. Quando encontrá-lo vamos ter uma conversa no pomar. Da maçã do PSDB com o laranja do Doria", disse Aécio ontem, em nota oficial.

Foi o suficiente para Arthur aumentar o tom dos ataques e reclamar da influência do parlamentar mineiro sobre a campanha de Eduardo Leite. "O governador está fatigado e está muito mal aconselhado. Ele me chamou de laranja. Quem disse isso? O Aécio, que é o mentor dele. Se ele quer ser um bom homem público tem que se afastar do Aécio, que não faz coisas boas pro Brasil", contou o ex-prefeito. "Como pode ele me chamar de laranja? Um cara como eu que enfrentou a ditadura militar? Como ofende uma pessoa desse jeito? Ele está ouvindo o tutor dele que é o Aécio", reclamou.

"Soube que ele falou que queria debater comigo numa horta (sic). Não sei o que falaria com ele numa horta. Eu queria debater com ele na ABI. Mas acho que ninguém iria porque ninguém gosta dele. Mas aceito debater com ele em Tijuana ou Cali pra ver se ele se sente mais à vontade", disparou Arthur Virgílio.

Procurado, Aécio não comentou as declarações do correligionário.

Estadão
Publicidade
Publicidade