PUBLICIDADE

Mercadante já despacha informalmente na Casa Civil, diz jornal

21 jan 2014 08h55
| atualizado às 08h59
ver comentários
Publicidade
<p>O ministro da Educa&ccedil;&atilde;o, Aloizio Mercadante, em conversa com a presidente Dilma Rousseff durante evento oficial</p>
O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, em conversa com a presidente Dilma Rousseff durante evento oficial
Foto: Ueslei Marcelino / Reuters

O ministro da Educação, Aloísio Mercadante, despachou informalmente no gabinete da Casa Civil, no Palácio do Planalto, nesta segunda-feira, conforme publicou o jornal O Estado de S. Paulo. A mudança faz parte da reforma ministerial iniciada pela presidente Dilma Rousseff, que começa a desenhar a sua equipe para o último ano do governo. Além da mudança de Mercadante para a Casa Civil, o empresário Josué Gomes da Silva (PMDB) deverá assumir o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

O despacho informal de Mercadante teria ocorrido pelo fato de a titular da pasta, ministra Gleisi Hoffmann, estar de férias. Gleisi deixará o cargo para disputar o governo do Paraná e, na vaga de Mercadante, entrará o atual secretário executivo do Ministério da Educação, José Henrique Paim.

Após o trabalho na Casa Civil, Mercadante foi ao Palácio da Alvorada para uma reunião com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma.

Ontem, porém, o porta-voz da Presidência da República, Thomas Traumann, classificou como especulação anúncios antecipados de mudanças na Esplanada dos Ministérios e disse que as confirmações referentes à reforma ministerial ficarão para o retorno da presidente Dilma Rousseff, que viajará para a Suíça e para Cuba entre esta semana e a semana que vem.

“Não houve nenhuma confirmação. Só especulação. Todas as confirmações serão feitas após o retorno da presidenta Dilma da Europa e Cuba”, afirmou Traumann. “Qualquer confirmação sobre ministros será feita apenas após o retorno da presidenta.”

&amp;amp;amp;lt;a data-cke-saved-href=&amp;amp;quot;http://noticias.terra.com.br/brasil/infograficos/sopa-de-letrinhas-da-politica-brasileira/&amp;amp;quot; href=&amp;amp;quot;http://noticias.terra.com.br/brasil/infograficos/sopa-de-letrinhas-da-politica-brasileira/&amp;amp;quot;&amp;amp;amp;gt;Sopa de letrinhas da pol&amp;amp;iacute;tica brasileira&amp;amp;amp;lt;/a&amp;amp;amp;gt;

Trocas de comando
Segundo a publicação, dez ministros devem deixar os cargos para concorrer às eleições. O atual secretário da Saúde de São Bernardo do Campo, Arthur Chioro (PT), deverá assumir o Ministério da Saúde. Chioro substituirá Alexandre Padilha, que deixará a pasta para concorrer ao governo de São Paulo pelo PT. Já o Ministério do Desenvolvimento, dirigido por Fernando Pimentel (PT), que deixará a pasta para concorrer ao governo de Minas Gerais, será assumido por Josué Alencar, filho do vice-presidente José Alencar.

Ao PMDB, Dilma vai oferecer a Secretaria de Portos. O partido deverá perder o Ministério do Turismo, que deve ir para Benito Gama, presidente do PTB. A Integração fica com o novo aliado PROS, do governador do Ceará, Cid Gomes, e o Ministério da Ciência e Tecnologia, hoje com o PT, pode ir para o PSD do ex-prefeito Gilberto Kassab.

O ministro da Pesca, Marcelo Crivella (PRB), deve deixar a pasta para disputar o governo no Rio.  Informações apontam que a presidente decidiu manter a Pesca com o PRB.

O anúncio das trocas na Esplanada, segundo o jornal, será em fevereiro.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade