1 evento ao vivo

Manuela D'Ávila critica a Câmara por "proteger" Bolsonaro

Para ela, o deputado "tem convicção" de que o Conselho de Ética não o punirá

10 dez 2014
15h09
atualizado às 15h10
  • separator
  • 0
  • comentários

O PCdoB compartilhou um vídeo na internet, nesta terça-feira, em que a deputada federal Manuela D'Ávila, uma das líderes do partido no Rio Grande do Sul, critica o também deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) e todos os outros parlamentares que se calaram frente aos ataques feitos por ele a Maria do Rosário (PT-RS). 

<p>Deputada federal Manuela D'Ávila</p>
Deputada federal Manuela D'Ávila
Foto: Reprodução

"O Bolsonaro, na realidade, se sente protegido pela maioria silenciosa da Câmara dos Deputados. Ninguém age diversas vezes agredindo as mulheres e se autoproclamando um estuprador, como ele fez hoje, se não se sentisse protegido e se não tivesse convicção de que o Conselho de Ética não o julgará, não cassará seu mandato, não o punirá. Mais grave do que termos o Bolsonaro na tribuna é termos uma Câmara que o protege”, diz ela na gravação. 

A confusão entre Rosário e Bolsonaro aconteceu nesta terça-feira no plenário da Câmara. Após discursar a favor da Comissão da Verdade e das investigações dos abusos da ditadura militar, ela se dirigiu à saída do local e foi interrompida por ele. Militar de reserva, Bolsonaro contou que havia sido chamado de "estuprador" por ela em uma situação anterior e rebateu afirmando que não iria estuprá-la "porque ela não merece". 

Petição online pela cassação
Um dia depois da confusão, um abaixo-assinado no site de petições online Avaaz, sob o título “Conselho de Ética da Câmara dos Deputados: Cassação Jair Bolsonaro (PP-RJ) #ForaBolsonaro" já reúne 28 mil assinaturas. A meta é atingir 30 mil nomes escritos para a entrega do documento ao Conselho de Ética da Câmara.

“Agora passou dos limites, o Deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) disse na tribuna no dia 09/12 a Deputada Maria do Rosário que ‘só não lhe estupro porque você não merece’”, diz a descrição da petição. “O deputado já tem em seus histórico: agressões, xingamentos e discursos de ódio contra deputados progressivos, não podemos mais aceitar nenhum engavetamento. Isso é decoro parlamentar! Fora Bolsonaro!”, completa o texto.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade