0

PF investiga crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no RS

16 ago 2017
07h40
atualizado às 08h55
  • separator
  • 0
  • comentários

A Polícia Federal cumpre cinco mandados de busca e apreensão nesta quarta-feira em cidades gaúchas e em Brasília como parte de investigação para combater os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro em obras públicas no Rio Grande do Sul, em um desdobramento da operação Lava Jato, informou a PF.

Agente da Polícia Federal durante operação no Rio de Janeiro 26/01/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino
Agente da Polícia Federal durante operação no Rio de Janeiro 26/01/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino
Foto: Reuters

De acordo com a PF, informações obtidas na 26ª fase da Lava Jato --a chamada operação Xepa, realizada em março de 2016 tendo como alvo principal a Odebrecht-- levaram à descoberta de um esquema envolvendo a lavagem de dinheiro por meio de entidade associativa ligada a grandes empreiteiras.

"A entidade recebia das empreiteiras um percentual do valor de obras públicas realizadas no Estado. Contratos de assessoria entre a entidade associativa e empresas de fachada eram utilizados para dar aparência de legalidade às operações financeiras de retirada de valores dessa entidade", disse a PF em comunicado.

Além de corrupção e lavagem de dinheiro, os envolvidos também são suspeitos de evasão de divisas e crimes contra o sistema financeiro nacional, acrescentou a PF, que deu o nome de Étimo à nova operação.

Na 26ª fase da Lava Jato, que deu origem à operação desta quarta-feira, a Polícia Federal revelou a descoberta de um setor especializado da Odebrecht para o pagamento de propina em diversas áreas do setor de atuação da empreiteira.

Em dezembro do ano passado, a Odebrecht assinou um acordo de leniência com a Lava Jato, em que admitiu participação em práticas empresariais impróprias e aceitou pagar multa bilionária.

Veja também

Todos querem se beneficiar do novo NAFTA

 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade