PUBLICIDADE

Política

Governo irá explorar verde e amarelo no 7 de Setembro e ligará Forças Armadas à democracia

Com slogan "Democracia, soberania e união", governo Lula busca reverter conotação política estabelecida durante gestão Bolsonaro

28 ago 2023 - 17h55
(atualizado às 18h46)
Compartilhar
Exibir comentários
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante cerimônia de posse do presidente paraguaio, em Luque, Paraguai
14/08/2023
REUTERS/Cesar Olmedo
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante cerimônia de posse do presidente paraguaio, em Luque, Paraguai 14/08/2023 REUTERS/Cesar Olmedo
Foto: Reuters

O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) planeja utilizar sua primeira cerimônia de 7 de Setembro para enviar uma mensagem de coesão nacional. Com o slogan "Democracia, soberania e união", e as cores verde e amarela, o objetivo é reverter a conotação política que se estabeleceu em torno da data e das Forças Armadas durante o mandato de Jair Bolsonaro (PL).

As informações são da Folha de S.Paulo. Segundo a publicação, o uso das cores da bandeira nacional, em especial, é para mostrar que não foram cooptadas pelo bolsonarismo.

A Esplanada já está sendo preparada com arquibancadas, palcos e faixas que ostentam o verde e amarelo. É por meio dessa abordagem que o governo Lula busca vincular as três Forças Armadas ao conceito de democracia.

Novo foco ao feriado

Os membros do governo envolvidos na organização pretendem introduzir um novo enfoque ao feriado, com ênfase em uma mensagem de caráter institucional, deixando de lado qualquer disputa partidária. A Amazônia terá um papel proeminente na cerimônia, e a ênfase na preservação ambiental será empregada para destacar a soberania do país. 

Em 2022, a cerimônia foi utilizada como um ato de campanha por Bolsonaro, então candidato à reeleição. Após o desfile na Esplanada, ele proferiu um discurso em um palco ao lado do evento.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade