PUBLICIDADE

Doria critica negacionismo durante reinauguração em SP

Governador de São Paulo reabriu o Museu da Língua Portuguesa

31 jul 2021 13h48
| atualizado às 14h56
ver comentários
Publicidade

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), reabriu o Museu da Língua Portuguesa neste sábado, 31. A cerimônia teve participação dos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Michel Temer (MDB), além da presença dos presidentes de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, e de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca.

O Governador do Estado de São Paulo João Dória (PSDB) e o Prefeito de São Paulo Ricardo Nunes (MDB) durante evento de reinauguração do Museu da Língua Portuguesa
O Governador do Estado de São Paulo João Dória (PSDB) e o Prefeito de São Paulo Ricardo Nunes (MDB) durante evento de reinauguração do Museu da Língua Portuguesa
Foto: Ettore Chiereguini/Agif-Agência de Fotografia / Estadão Conteúdo

Doria destacou a reabertura do espaço em meio à pandemia e defendeu a democracia e a ciência. "Há duas semanas, o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa incorporou mil novas entradas. Entre as novas palavras estão erros e problemas do presente: negacionismo ou pós-verdade, por exemplo. Para elas, a língua portuguesa tem os seus antídotos, suas vacinas, palavras que estão aqui há tempos: ciência, fatos, transparência, trabalho. E eu citaria, com muita ênfase: democracia, honestidade, respeito e liberdade", disse.

Na cerimônia, o presidente de Portugal condecorou o Museu da Língua Portuguesa com a Ordem de Camões, uma honraria destinada a pessoas ou instituições que prestem serviços relevantes à língua portuguesa. Os ex-presidentes brasileiros foram cordiais, sem declarações políticas.

Estadão
Publicidade
Publicidade