PUBLICIDADE

PF abre inquérito após morte de homem asfixiado com gás em viatura

Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, morreu no porta-malas do carro da PRF após aspirar gás lançado pelos policiais em Umbaúba (Sergipe)

26 mai 2022 14h27
| atualizado às 16h10
ver comentários
Publicidade
Homem é morto após ser trancado em viatura policial com gás em Sergipe
Homem é morto após ser trancado em viatura policial com gás em Sergipe
Foto: Reprodução Redes Sociais

A Polícia Federal em Sergipe instaurou inquérito para apurar as circunstâncias da morte de Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, após ser trancado no porta-malas de uma viatura da Polícia Rodoviária Federal e aspirar um gás lançado pelos policiais, em Umbaúba, no sul do Estado. A corporação diz que já iniciou as diligências sobre o caso.

O Ministério Público Federal também abriu um procedimento sobre o caso, no sentido de acompanhar as investigações sobre a morte de Genivaldo. O despacho foi assinado pelo procurador Flávio Pereira da Costa Matias, coordenador do Controle Externo da Atividade Policial.

A Procuradoria requisitou informações à Delegacia de Polícia Civil de Umbaúba e oficiou a PRF em busca de informações sobre processo administrativo que vai apurar a abordagem policial. Foi dado prazo de 48 horas para que os órgãos repassem os dados.

À PF, foi solicitado o número do inquérito aberto sobre o caso. Matias determinou que, tão logo a informação chegue ao MPF, seja autuada imediatamente uma notícia de fato – apuração preliminar – para que o futuro procurador do caso acompanhe as investigações da PF, indicando as diligências que considerar necessárias e adotando ‘as demais medidas que reputar oportunas’.

Como mostrou o Estadão, Genivaldo de Jesus Santos foi abordado na tarde desta quarta-feira, 25, imobilizado e colocado no interior do compartimento da viatura da PRF. Em seguida, os policiais lançaram um gás sobre a vítima e trancaram o porta-malas, relataram testemunhas.

Laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Aracaju indica que a morte de Genivaldo se deu por asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP) de Sergipe, outros exames foram realizados para detalhar as causas e os laudos complementares ainda serão emitidos.

Estadão
Publicidade
Publicidade