PUBLICIDADE

Doria diz que governo não entregou 228 mil vacinas da covid

Governo de São Paulo afirma que situação pode afetar imunização de crianças e adolescentes; doses da Pfizer deveriam ter chegado na madrugada

4 ago 2021 12h51
| atualizado às 13h07
ver comentários
Publicidade

O governador João Doria (PSDB) afirmou ter enviado um ofício ao Ministério da Saúde pela não entrega de metade das doses previstas de vacina contra a covid-19 da Pfizer na madrugada desta quarta-feira, 4. Segundo ele, 228 mil doses não foram enviadas, "sem nenhuma justificativa".

João Doria
João Doria
Foto: Governo do Estado de São Paulo / Divulgação

Ele qualificou a situação de uma decisão arbitrária do governo federal, uma "queda do pacto federativo". "Decidiu punir quem fez o certo", acrescentou ele, que pede que o ministério "imediatamente" volte atrás. "Com menos vacina do que o prometido, o Ministério da Saúde compromete o calendário de vacinação de crianças e adolescentes, previsto começar em 18 de agosto", declarou.

Eduardo Ribeiro, secretário executivo da Secretaria Estadual da Saúde, lembrou que São Paulo costuma receber mais de 20% dos envios das vacinas. "Esta ação não pune o governo de São Paulo, mas a população. 228 mil pessoas podem ter sido imunização postergada por essa medida do ministério, a não ser que abasteça ainda hoje o Estado de São Paulo."

O Estado tem 4.073.622 casos e 139.464 óbitos por covid-19 confirmados. A taxa de ocupação é de 48,5% em UTI e 31,2% em leitos de enfermaria dedicados a casos de covid-19.

A média móvel (calculada com base nos últimos sete dias) de novas internações diárias foi de 1.025 na terça-feira, 3, a menor de 2021. Ela está em curva decrescente, desde 12 de junho, quando marcava 2.760 novos hospitalizados por dia, e é semelhante aos registros de meados de novembro.

Já a média móvel foi de 246 novos óbitos diários pela doença na terça-feira. Ela está em curva descendente desde abril, mas segue superior aos registros de janeiro deste ano e de todo 2020, quando a taxa mais alta foi de 219 mortes diárias, em 15 de setembro.

Estadão
Publicidade
Publicidade