PUBLICIDADE

Criminosos roubam 6 fuzis e 5,7 mil munições em casa de CAC na zona leste de SP

Homem chegou a ser sequestrado e levado para outro bairro, mas foi localizado dentro do próprio carro momentos depois pela Polícia Militar. No total, 11 armas foram levadas

16 fev 2024 - 12h54
(atualizado às 16h05)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Reprodução/Google Street View

Um empresário de 37 anos com registro de Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador (CAC) teve 11 armas roubadas após ter a casa invadida por criminosos na noite desta quinta-feira, 15, na Penha, na zona leste de São Paulo. Ele chegou a ser sequestrado e levado para outro bairro, mas foi localizado dentro do próprio carro momentos depois pela Polícia Militar.

De acordo com o boletim de ocorrência do caso, foram roubados seis fuzis e quatro pistolas de uso restrito, além de um revólver. Os criminosos também levaram 5.740 cartuchos, sendo 4 mil de calibre 7,62 mm para fuzil, 1 mil cartuchos 5,56 mm para fuzil, 120 45 mm para pistola, 600 9mm e 20 cartuchos para revólver calibre 38. Na lista de objetos subtraídos, consta ainda um colete balístico.

  • Entre as armas roubadas, estão quatro fuzis calibre 7,62 mm, sendo dois deles idênticos, do modelo IA 2 semi-automático da Imbel. Outro é um modelo Parafal M964A1 (Imbel) e o último é um M&P10 (S&W). Os dois outros fuzis são calibre 5,56 mm: um Fire Eagle 11 5 e outro IA 2. Entre as pistolas, está uma Sig Sauer 9 milímetros e uma Glock de mesmo calibre. Além das munições, havia 30 carregadores sobressalentes de fuzis e 15 de pistola.

Conforme a Secretaria da Segurança Pública (SSP), policiais militares foram acionados por volta de 21h44 para atender à ocorrência. A equipe foi informada pela mulher do empresário que sua casa estava com a porta aberta quando ela chegou, o que gerou suspeita instantânea.

Ao chegar no local, na Rua Major Alberto Barbosa, os agentes verificaram que o interior da residência estava revirado, com caixas de armas de fogo vazias espalhadas por todo o chão. A proprietária da residência informou que o namorado, que é CAC, deveria estar a esperando no local.

Os policiais militares, então, verificarem as imagens de câmeras de segurança e viram que a vítima estava retirando o lixo quando dois homens o abordaram e entraram na residência. Depois de 15 minutos, os criminosos fugiram do local com o empresário dentro do próprio carro.

Com base no rastreamento do veículo, os PMs localizaram o carro e a vítima no bairro de Guaianases, também na zona leste. Conforme a secretaria, os criminosos roubaram diversos carregadores e cartuchos de arma de fogo, seis lunetas, um colete balístico, além de 11 armas de fogo. O celular da vítima também foi levado. O caso foi registrado como roubo no 31° Distrito Policial (Vila Carrão).

"Desde que foram realizadas as primeiras flexibilizações em 2019, com aumento da potência e quantidade de armas e munições que podiam ser adquiridas por civis, foram feitos inúmeros alertas dos riscos por especialistas e órgãos técnicos, como a Polícia Federal. Desde então temos episódios semanais de desvios de armas de uso militar para o crime organizado, em um aumento também registrado nos dados oficiais do Exército. Em 2021, São Paulo apreendeu 118 fuzis, ano passado já foram 179?, diz Bruno Langeani, gerente do Instituto Sou da Paz.

"Os decretos de Bolsonaro seguirão trazendo efeitos negativos para segurança pública por anos e ficarão como exemplo dos riscos de se permitir mudanças normativas que ignoram avaliações de impacto", acrescentou. As normas editadas pelo governo do ex-presidente Jair Bolsonaro vêm sendo desfeitas pelo governo Lula desde o início do mandato, no ano passado.

Na oportunidade, o governo Bolsonaro defendia o acesso da população a armas e propagava efeitos positivos que elas poderiam ter na segurança pública, o que contrariava o consenso de pesquisas em torno do tema. /COLABOROU MARCO ANTÔNIO CARVALHO

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade