PUBLICIDADE

Árvore de 40 m cai em praça no interior de SP devido à chuva

8 dez 2009 - 23h01
(atualizado às 23h46)
Compartilhar
Rose Mary de Souza
Direto de Campinas

As raízes de um flamboyant de mais de 40 m de altura não suportaram o volume de chuva e a árvore tombou na praça Carlos Gomes, no centro de Campinas, interior de São Paulo.

A árvore de mais de 40m caiu na praça Carlos Gomes, centro de Campinas
A árvore de mais de 40m caiu na praça Carlos Gomes, centro de Campinas
Foto: Rose Mary Souza / Especial para Terra

A árvore danificou um caminhão e outras plantas em uma das mais tradicionais áreas verdes da cidade. Ninguém se feriu, pois havia poucas pessoas na imediações, devido ao temporal no feriado da padroeira Nossa Senhora da Conceição.

No momento em que a árvore veio ao chão chovia muito forte. "Quando caiu parecia o barulho de um trovão. Estremeceu tudo", afirmou a professora aposentada Lourdes Santana, 61 anos, que mora em frente e fazia tricô na varanda do quarto andar. "Estou emocionada até agora."

Se tivesse pendido para o outro lado, a copa da árvore teria atingido fachadas e janelas envidraçadas de prédios de apartamentos e dezenas de carros parados na via.

Segundo Ana Avila, meteorologista e diretora do Centro de Pesquisas Meteorológicas Aplicadas à Agricultura da Universidade Estadual de Campinas (Cepagri/Unicamp), desde a madrugada até o começo da tarde de hoje choveu um terço do que seria previsto para todo o mês de dezembro.

A estação meteorológica instalada na avenida Anchieta, a poucos metros das praça Carlos Gomes, coletou 51 mm de água. Na estação Taquaral, foram 60 mm e na Unicamp, 64 mm. A média no mês de novembro é de 155,6 mm.

O mau tempo provocou o cancelamento da inauguração do Parque Linear do Capivari, programado para esse feriado. Com o agravamento da enchente das marginais Tietê e Pinheiros, na capital paulista, as companhias de transporte cancelaram a venda de bilhetes de onibus para São Paulo.

A chuva encheu a cabeceira do rio Atibaia e desalojou 40 famílias moradoras em áreas de risco do distrito de Sousas. Os ribeirões Quilombo e Jacuba, entre Sumaré e Hortolândia, também não suportaram o volume das chuvas.

Fonte: Especial para Terra
Compartilhar
Publicidade