2 eventos ao vivo

Bolsonaro tem aval de médicos para alta nesta quarta-feira

Saída do hospital ainda deve ser definida pela equipe do Palácio do Planalto; cirurgião diz que Bolsonaro 'está perfeito'

11 fev 2019
23h10
atualizado em 12/2/2019 às 07h44
  • separator
  • 0
  • comentários

SÃO PAULO - O presidente Jair Bolsonaro recebeu aval da equipe médica para ter alta do Hospital Albert Einstein nesta quarta-feira, 13. A data de saída vai depender do Palácio do Planalto. Nesta segunda, ele completou 15 dias de internação.

Após duas semanas de uma cirurgia para retirada da bolsa de colostomia e reconstrução do trânsito intestinal, Bolsonaro já se alimenta com dieta leve e apresentou melhora do quadro pulmonar - ele foi diagnosticado com pneumonia na semana passada. De acordo com os médicos, o presidente precisa ficar internado até quarta, quando termina o período de medicação com antibióticos administrados para conter a infecção.

Governador de São Paulo, João Doria, visita o presidente da República, Jair Bolsonaro, no Hospital Albert Einstein
Governador de São Paulo, João Doria, visita o presidente da República, Jair Bolsonaro, no Hospital Albert Einstein
Foto: Reprodução/Assessoria Governo do Estado de São Paulo / Estadão Conteúdo

"Ele pode ter alta, sim. Mas eu não sei se ele vai quarta, ele e o cerimonial (do Planalto) vão decidir", disse o cirurgião Antonio Luiz Macedo ao Broadcast Político. "O presidente está ótimo, está perfeito."

Bolsonaro já está liberado para falar, como fez hoje ao receber três ministros, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e um secretário paulista, destacou o médico. Além disso, o organismo respondeu de forma satisfatória à alimentação sólida - retomada nesta segunda-feira. "A única pendência são os antibióticos", destacou Macedo.

João Doria e o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmaram que Bolsonaro deve finalizar o texto da reforma da Previdência com a equipe econômica ainda nesta semana, assim que deixar o hospital em São Paulo e retornar a Brasília.

Veja também

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade