PUBLICIDADE

Relembre ocasiões em que jogadores brasileiros foram alvo de racismo no futebol

Altetas da seleção, como Richarlison, Neymar, Daniel Alves, Vinícius Júnior e Grafite sofreram racismo

27 set 2022 - 17h57
(atualizado às 19h05)
Compartilhar
Exibir comentários
Ataques teriam sido feitos por um integrante da torcida tunisiana, que ainda não foi identificado
Ataques teriam sido feitos por um integrante da torcida tunisiana, que ainda não foi identificado
Foto: Reuters

Em menos de um mês jogadores da seleção brasileira foram alvos de injúria racial e atos racistas na Europa. No dia 16 de setembro, Vinícius Júnior foi chamado de "macaco" em um programa de televisão na Espanha, enquanto Richarlison teve uma banana atirada em sua direção após um gol marcado em jogo entre Brasil e Tunísia, em Paris, nesta terça-feira.

Esta, porém, não foi a primeira vez em que um atleta da seleção brasileira foi alvo de situações semelhantes à ocorrida nesta terça-feira no estádio Parque dos Príncipes. Relembre ocasiões em que jogadores brasileiros, com histórico na seleção, sofreram racismo em campo e fora dele.

NEYMAR

Em março de 2011, em amistoso com a Escócia, em Londres, o jovem Neymar, que à época tinha 19 anos, teve uma casca de banana atirada em sua direção logo após o apito final. O atacante, que jogava no Santos, sofreu com vaias da torcida escocesa desde o início da partida. Mesmo assim, não sentiu qualquer pressão, e marcou os dois gols da vitória da seleção, dirigida por Mano Menezes.

Neymar comemora gol sobre a Escócia em amistoso da seleção em 2011
Neymar comemora gol sobre a Escócia em amistoso da seleção em 2011
Foto: Reuters

Após o ocorrida, a CBF pediu que a Federação Escocesa se aprofundasse nas investigações sobre o tema a fim de identificar quem teria jogado a casca de banana no gramado. Os escoceses, no entanto, se recusaram a fazê-lo e elogiaram seus torcedores.

DANIEL ALVES

Em abril de 2014, meses antes da Copa do Mundo do Brasil, o lateral-direito Daniel Alves viu a torcida do Villarreal atirar bananas em sua direção durante jogo com o Barcelona pelo Campeonato Espanhol. O atleta não teve dúvidas e comeu a banana.

O lateral-direito do Barcelona pegou a fruta do chão e a comeu antes de cobrar escanteio
O lateral-direito do Barcelona pegou a fruta do chão e a comeu antes de cobrar escanteio
Foto: Reuters

Após a partida, Dani Alves relatou que o racismo era uma ação reiterada contra os brasileiros no país ibérico: "Estou na Espanha há 11 anos e há 11 anos é dessa maneira. Apenas nos resta rir desse pessoal atrasado", disse o jogador, que atualmente defende as cores do mexicano Pumas.

GRAFITE

Uma banana foi atirada no gramado do estádio do Pacaembu, em São Paulo, com os dizeres "Grafite macaco", citando o atacante do São Paulo e da seleção, durante jogo entre Brasil e Guatemala em abril de 2005. Grafite disse não ter visto a banana e só ficou sabendo do ocorrido posteriormente.

Grafite havia sido dias antes pivô de uma confusão envolvendo o argentino Desábato. No jogo entre São Paulo e Quilmes, no dia 13 de abril, no Morumbi, Grafite acusou Desábato de ter lhe feito ofensas raciais. O jogador argentino foi detido ainda dentro do estádio e passou quase 40 horas preso em São Paulo.

Revoltada com a situação de seu jogador, preso no Brasil, a torcida do Quilmes chegou a levar faixas no estádio em Buenos Aires chamando o atacante do São Paulo de "macaco". Mas, no Pacaembu, o racismo partiu, muito provavelmente, de um torcedor brasileiro. Mais de 36 mil pessoas estiveram no Pacaembu para acompanhar o amistoso da seleção, em que Grafite foi um dos destaques, marcando o terceiro gol da vitória por 3 a 0 sobre os guatemaltecas.

RICHARLISON

Uma cena lamentável marcou o início do jogo entre Brasil e Tunísia em amistoso nesta terça-feira, no Parque dos Príncipes, em Paris. Após o segundo gol da seleção brasileira, assinalado por Richarlison, um banana foi atirada no gramado do estádio francês em direção aos jogadores que comemoravam o tento.

A CBF usou as redes sociais para protestar contra a hostilidade do jogo e principalmente o ato de racismo. "Lamentavelmente, após a ação, uma banana foi atirada no gramado em direção a Richarlison, autor do segundo gol brasileiro. A CBF reforça o sua posição de combate ao racismo e repudia qualquer manifestação preconceituosa."

VINÍCIUS JÚNIOR

Vinícius Júnior foi alvo de racismo no programa de televisão na Espanha El Chiringuito de Jugones. O atacante do Real Madrid e da seleção brasileira foi comparado com "macaco" ao longo de um comentário sobre suas comemorações de gols no Campeonato Espanhol.

A ofensa foi feita por Pedro Bravo, representante da associação dos empresários de atletas do país. Mais tarde, em suas redes sociais, ele chegou a se desculpar. Mais tarde, o apresentador do programa Josep Pedrerol negou que a frase fosse racista. "Aqui cometemos erros de utilizar expressões inapropriadas, mas não racistas. Peço desculpas se isso te incomodou."

Estadão
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade