PUBLICIDADE

"Realmente cometi um ato racista", diz Luísa Sonza em vídeo sobre processo de advogada; assista

Ação que envolveu a cantora foi arquivada em agosto; caso aconteceu em 2018

3 nov 2023 - 16h17
(atualizado às 17h07)
Compartilhar
Exibir comentários
Luísa Sonza admitiu que considera ter cometido um ato racista ao comentar sobre o processo que enfrentou
Luísa Sonza admitiu que considera ter cometido um ato racista ao comentar sobre o processo que enfrentou
Foto: Reprodução/YouTube

A cantora Luísa Sonza admitiu que considera ter cometido um ato racista ao comentar sobre o processo que enfrentou, movido pela advogada Isabel Macedo e arquivado em agosto. A ação, que envolveu um caso que aconteceu em 2018, foi aberta em 2020 e Isabel confirmou ter entrado em um acordo com a artista.

10 frases que revelam racismo 10 frases que revelam racismo

Em entrevista à youtuber Bianca DellaFancy publicada nesta sexta-feira, 3, Luísa comentou ter tido dificuldades de entender o motivo do processo no início por, nas palavras da artista, "ser uma pessoa branca e não viver isso na pele". Ela disse ter procurado contato com autores como Silvio Almeida e Djamila Ribeiro após o ocorrido.

"É importante que tragam isso para mim. Eu cometi esse erro, paguei por esse erro e me arrependo profundamente", declarou ela. "Óbvio que não foi intencional. Mas a gente [pessoas brancas] comete isso diariamente."

A artista disse que o processo para que aprendesse sobre o assunto foi "longo". "Eu gostaria muito de ter aprendido isso antes. [...] Eu tive esse período: 'Como assim, eu? Eu sou a pessoa que acusa'. Até aceitar e falar: 'Não, realmente, eu cometi um ato racista'", afirmou.

Luísa comentou que as cobranças que recebeu por um posicionamento sobre o caso a fizeram entender a gravidade do ocorrido. "Foi só assim que eu comecei a entender a minha responsabilidade", disse a cantora, que, ao final, pediu desculpas.

Entenda o caso

A advogada Isabel Macedo processou Luísa Sonza por racismo em 2020. O caso, porém, ocorreu em 2018, quando ambas estavam em uma festa em Fernando de Noronha. A notícia veio à tona em 2022, quando uma audiência foi suspensa.

Isabel relatou que Luísa havia batido em seu ombro para pedir um copo d'água a ela. "Era meu aniversário, e eu tinha viajado sozinha. Estava dançando, me divertindo e aproveitando a festa. Por um acaso, parei atrás da Luísa. No evento tinha vários famosos, mas nem sabia quem era ela. Nunca tinha ouvido falar. Foi então que ela virou, bateu no meu ombro e disse: 'Pega um copo d'água pra mim?'. Eu respondi que não tinha entendido, ela repetiu a frase e completou 'Você não trabalha aqui?'", relatou a advogada em entrevista ao site Notícia Preta.

Em seguida, a vítima questionou Luísa por achar que estava trabalhando na festa. A cantora rebateu dizendo que "não era o que ela estava pensando". "Não é demérito algum ser empregada, eu mesma já fui doméstica, a questão é: por que a branquitude sempre nos enxerga nessa posição de serviçal? Por que nos entendem como pessoas que só podem servi-los, mas nunca como pessoas que podem consumir, viver e viajar como eles?", questionou Isabel.

Após a repercussão, cantora usou as redes sociais para fazer uma retratação, informando que iria solicitar uma audiência especial para acatar o valor pedido pela autora do processo. "Estou lidando com essa situação como uma oportunidade para tentar ser melhor, como sempre tentei fazer todas as vezes que alguma coisa aconteceu comigo, publicamente ou não", escreveu.

Luísa também gravou um longo vídeo em que pedia desculpas pela situação e por posicionamentos anteriores sobre o caso. Em 2020, ela negou que o caso fosse verdadeiro, o que, segundo a artista, se deu por conta de uma notícia que dizia que Luísa teria agredido uma pessoa negra.

"A nossa educação é racista, a nossa estrutura é racista, a nossa sociedade funciona de forma racista", comentou. "A Justiça sempre vai ser favorável a nós [brancos]. [...] Para a gente combater isso, a gente precisa ter atitudes individuais que não compactuam com o racismo em que a gente vive, a gente é e a gente é educado a ser. [...] Eu fico muito decepcionada comigo mesma de não ter entendido e buscado isso antes."

*Estagiária sob supervisão de Charlise de Morais

Entenda a diferença entre racismo e injúria racial:
Estadão
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade