PUBLICIDADE

Quem são as personalidades negras atuais da luta contra o racismo no Brasil

Artistas, políticos e escritores estão entre as vozes do movimento negro brasileiro no século XXI

20 nov 2023 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários

No Dia da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, os olhares se voltam para a história de resistência dos brasileiros que enfrentaram e desafiaram o racismo. Nomes como Zumbi dos Palmares e Luiz Gama ressoam como guerreiros que, em diferentes épocas, protagonizaram uma luta incansável por justiça e igualdade.

10 nomes que marcaram a luta contra o racismo no Brasil e no mundo 10 nomes que marcaram a luta contra o racismo no Brasil e no mundo

Hoje, ao celebrarmos essa data, é importante reconhecer não apenas os feitos do passado, mas também olhar para as vozes contemporâneas que continuam a ecoar as demandas por inclusão e equidade. Em um Brasil diverso, políticos, escritores e artistas emergem como líderes e defensores de um movimento negro que busca não só recontar a narrativa histórica, como também transformar a sociedade atual. Confira alguns deles:

Silvio Luiz de Almeida

Silvio Almeida é um dos grandes nomes que debatem a questão racial no país e é autor do livro "Racismo Estrutural"
Silvio Almeida é um dos grandes nomes que debatem a questão racial no país e é autor do livro "Racismo Estrutural"
Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil

Atual ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania do Brasil, Silvio Luiz de Almeira, de 47 anos, também é professor, advogado e filósofo. Ele é um dos grandes nomes que debatem a questão racial no país e é autor do livro "Racismo Estrutural", de 2019, que ajudou a dar destaque para o termo.

Como ministro, Silvio Almeida tem atuado para a conscientização do racismo. Em maio deste ano, falou sobre o enfrentamento do racismo no país no lançamento do Programa de Formação e Iniciativas Antirracistas (FIAR). "Combater o racismo no Brasil significa entender como funcionam as relações econômicas e jurídicas; combater o racismo exige, portanto, um aprimoramento técnico e filosófico e ainda uma prática política orientada a partir desse conhecimento", afirmou.

Djamila Ribeiro

Djamila Ribeiro ganhou destaque no país ao falar sobre ativismo negro
Djamila Ribeiro ganhou destaque no país ao falar sobre ativismo negro
Foto: Reprodução: Instagram/djamilaribeiro1

Djamila, de 43 anos, é feminista, filósofa e escritora. Seu nome ganhou destaque no país ao falar sobre ativismo negro. Ela é coordenadora do Feminismos Plurais, instituto que oferece serviços de acolhimento e produção de saberes feministas e antirracistas.

Ela também é autora de livros como "Lugar de Fala" (Jandaíra/Feminismos Plurais), "Quem tem medo do Feminismo Negro?" e "Pequeno manual antirracista", e imortal da cadeira nº 28 da Academia Paulista de Letras desde 2022.

Anielle Franco

Anielle Franco, de 39 anos, é a atual ministra da Igualdade Racial do Brasil
Anielle Franco, de 39 anos, é a atual ministra da Igualdade Racial do Brasil
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Anielle Franco tem de 39 anos e é a atual ministra da Igualdade Racial do Brasil. Professora, jornalista e ativista, também dirige o Instituto Marielle Franco, organização sem fins lucrativos que tem o objetivo de potencializar mulheres negras e pessoas LGBTQIA+ e periféricas a continuarem lutando por seus espaços na sociedade.

Em 2021, lançou o projeto Escola Marielle, com o objetivo de fornecer formação política para essas pessoas. Segundo Anielle, o ministério tem trabalhado em um pacote de ações para a população negra, que deve ser entregue no dia 20, no Dia da Consciência Negra.

Sueli Carneiro

Sueli Carneiro, de 73 anos, é filósofa, escritora e ativista do movimento negro
Sueli Carneiro, de 73 anos, é filósofa, escritora e ativista do movimento negro
Foto: Andre Seiti/Wikicommons

Filósofa, escritora e ativista do movimento negro, Sueli Carneiro é considerada uma das principais autoras do feminismo negro no Brasil. Ela foi a primeira mulher negra a ganhar o título de Doutora Honoris Causa da Universidade de Brasília.

A escritora, de 73 anos, também é fundadora e diretora do Geledés - Instituto da Mulher Negra, uma organização de mulheres negras que lutam contra o racismo e o sexismo, tendo como missão combater a discriminação presente na sociedade. Algumas de suas obras são: "Racismo, Sexismo e Desigualdade no Brasil" (2011), "Interseccionalidades: pioneiras do feminismo negro brasileiro" (2020) e "Enegrecer o feminismo: a situação da mulher negra na América Latina a partir de uma perspectiva de gênero" (2003).

Renato Freitas

O ativista Renato Freitas ganhou destaque após participar de um protesto pelo assassinato de Moïse Kabagambe
O ativista Renato Freitas ganhou destaque após participar de um protesto pelo assassinato de Moïse Kabagambe
Foto: Reprodução: Instagram/renatofreitasumdenos

O político e ativista de 39 anos é graduado e mestre em Direito pela Universidade Federal do Paraná e, também, deputado estadual do Paraná. Ele ganhou destaque após participar de um protesto pelo assassinato de Moïse Kabagambe, congolês assassinado no Quiosque Tropicália, no Rio de Janeiro.

Renato faz parte do Coletivo Núcleo Periférico, que atua com demandas urgentes que impedem o acesso aos direitos e garantias fundamentais de pessoas da comunidade, como o fim do abuso de autoridade.

Nathália Rodrigues (Nath Finanças)

Nath Finanças, é empresária, escritora e influenciadora digital que produz conteúdos focados em educação financeira
Nath Finanças, é empresária, escritora e influenciadora digital que produz conteúdos focados em educação financeira
Foto: Reprodução: Instagram/nathfinancas

Nathália Rodrigues de Oliveira, de 25 anos, mais conhecida como Nath Finanças, é empresária, escritora e influenciadora digital que produz conteúdos focados em educação financeira. Formada em Administração, o objetivo de Nath é ajudar pessoas de baixa renda que, assim como ela, não tinham educação financeira.

Nath constantemente usa sua plataforma para conscientizar as pessoas sobre o racismo e incentivar pessoas negras. Para ela, apesar do seu conteúdo não ser apenas para pessoas pretas, a representatividade ainda é importante.

"No Twitter, principalmente, a maioria que quer tirar dúvidas, são pessoas pretas. No Instagram, 85% são mulheres, e grande parte, pretas — trabalhadoras, como diaristas, auxiliar de serviços gerais, entre outras profissões", disse em entrevista à CNN Brasil.

Leandro Roque de Oliveira (Emicida)

O rapper Emicida de 38 anos é uma das maiores revelações do hip hop no Brasil
O rapper Emicida de 38 anos é uma das maiores revelações do hip hop no Brasil
Foto: Reprodução: Instagram/emicida

O rapper de 38 anos é uma das maiores revelações do hip hop no Brasil. Em suas músicas, o cantor aborda questões raciais presentes na sociedade, como em "Eminência Parda". Na música, Emicida fala sobre a sociedade que aponta a cultura negra como a errada e, também, violência policial.

Ele também é o autor do livro infantil "Amoras", que conta a história de uma menina negra que está aprendendo a se reconhecer no mundo. O livro foi alvo de racismo religioso por abordar religiões de matrizes africanas. "Hoje minha reação a isso é de tristeza. Não uma tristeza de derrota. A história do livro, ela fala por si, e é uma grande vitória. A repercussão dele, fala por si", disse o rapper.

Lázaro Ramos

Lázaro Ramos foi o diretor do filme "Medida provisória", que retrata o racismo no Brasil em um futuro distópico
Lázaro Ramos foi o diretor do filme "Medida provisória", que retrata o racismo no Brasil em um futuro distópico
Foto: Reprodução: Instagram/olazaroramos

Lázaro, de 45 anos, é um escritor e ator conhecido por atuar em produções como "Cobras & Lagartos" (2006) e "Duas Caras" (2007). Considerado um dos principais atores da sua geração, Lázaro Ramos é uma voz ativa na luta contra o racismo. Em 2017, ele lançou o livro "Na minha pele", no qual relata experiências pessoais e racismo.

Embaixador do UNICEF, o ator já estrelou campanhas sobre o impacto do racismo na infância e foi o diretor do filme "Medida provisória", que retrata o racismo no Brasil em um futuro distópico. "O que me choca mais é que o filme não é mais uma distopia. Tem coisas que já acontecem hoje em dia, várias violências, descrédito, silenciamento. Aí o filme se torna um espelho do que vivemos hoje. Se formos pensar, o filme lembra uma trajetória do nosso país também, em que as pessoas foram escravizadas e tratadas como animais", disse ele sobre o filme.

Gustavo Pereira Marques (Djonga)

Djonga, de 29 anos, é um dos nomes mais influentes do rap
Djonga, de 29 anos, é um dos nomes mais influentes do rap
Foto: Reprodução: Instagram/djongador

Djonga, de 29 anos, é um dos nomes mais influentes do rap e usa a sua música para fazer críticas sociais. No albúm "O dono do lugar", ele aborda a masculinidade do homem preto, racismo e o papel das mulheres em construírem um novo mundo.

No ano passado, Djonga discursou sobre racismo no seu show no Lollapalooza. "Muitas pessoas não têm a verdadeira noção do tamanho dessa luta e não sentem na pele. Mas entendam, isso é de vocês também. Vocês têm que lutar junto com nós, porque o bagulho é difícil. Eu não sou político, sou porra nenhuma. Isso é só o Djonga. É só uma voz falando com vocês sobre algo que acredito muito", disse ele.

Conceição Evaristo

As obras de Conceição Evaristo abordam a discriminação racial, de gênero e de classe
As obras de Conceição Evaristo abordam a discriminação racial, de gênero e de classe
Foto: Fora do Eixo/Wikicommons

Conceição, de 76 anos, é ex-empregada doméstica, escritora e pesquisadora aposentada que usa a escrita como uma forma de enfrentar o racismo que sofreu quando adolescente e, depois, como mulher. Suas obras abordam a discriminação racial, de gênero e de classe, como o romance Ponciá Vicêncio, de 2003.

"Quanto mais pessoas negras reivindicarem seus lugares e denunciarem o racismo, mais as pessoas brancas vão se sentir incomodadas. Algumas incomodadas por bem e outras incomodadas por mal. O racismo no Brasil não é uma questão para o negro resolver. É para o branco resolver", disse em entrevista.

Fonte: Redação Nós
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Seu Terra












Publicidade