PUBLICIDADE

Mulher presa por racismo contra filhos de Giovanna Ewbank já foi solta, diz jornal português

Caso ocorreu neste sábado, 30, enquanto a atriz passa as férias no país europeu com Gagliasso e os três filhos

31 jul 2022 - 12h13
(atualizado às 12h23)
Ver comentários

A mulher que foi presa por racismo contra os filhos de Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso, neste sábado, 30, em Portugal, já foi liberada pelas autoridades. A informação é do jornal português Público, que afirmou que a suspeita estava alcoolizada e ofendeu os agentes da Guarda Nacional Republicana (GNR). 

Foto: Instagram/Giovanna Ewbank / Pipoca Moderna

O vídeo da atriz defendendo os filhos Titi e Bless circulou pelas redes sociais e se tornou um dos assuntos mais comentados do Twitter deste domingo, 31. Na publicação, é possível ouvir Ewbank chamando a mulher de “racista nojenta” (confira abaixo)

Ainda segundo a reportagem, a assessoria de comunicação da GNR informou que pessoas que estavam no local, na Costa da Caparica, confirmam os ataques denunciados pelo casal. A mulher teria dito para “tirar aqueles pretos imundos dali”, referindo-se aos filhos de Ewbank e Gagliasso. 

Em entrevista ao jornal O Globo, Giovanna desabafou: “Vamos passar por cima dos racistas”. Por meio de nota, o casal afirmou que prestará queixa formalmente contra a mulher que desferiu ofensas racistas contra Titi e Bless. Leia posicionamento na íntegra:
 

"Comunicamos que os filhos do casal Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso foram vítimas de racismo no restaurante Clássico Beach Club, na Costa da Caparica, em Portugal, neste sábado, dia 30 de julho, onde a família passa férias.

Uma mulher branca, que passava na frente do restaurante, xingou, deliberadamente, não só Títi e Bless, mas também a uma família de turistas Angolanos que estavam no local - cerca de 15 pessoas negras. A criminosa pedia que eles saíssem do restaurante e voltassem para a África, entre outras absurdos proferidos às crianças, tais quais “pretos imundos”.

Confirmamos, conforme videos que já circulam no Brasil, que Giovanna reagiu e enfrentou a mulher, enquanto Bruno Gagliasso, seu marido, chamou a polícia. A mulher foi levada escoltada e presa. Informamos ainda que Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank prestarão queixa contra a racista formalmente na delegacia portuguesa.

A Trigo Casa de Comunicação lamenta as agressões sofridas por Títi, Bless e os turistas angolanos e apoia integralmente as ações tomadas por Giovanna e Bruno. Racismo é crime".

 

 

 

 

 

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade