PUBLICIDADE

Irmão mais velho de Bolsonaro se torna réu por caso de homofobia e ameaça

Caso ocorreu dentro de um supermercado em Eldorado (SP), e funcionário denunciou à polícia Angelo Guido Bolsonaro

29 mar 2024 - 09h28
(atualizado em 11/4/2024 às 14h03)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Angelo Guido Bolsonaro, irmão do ex-presidente Jair Bolsonaro, foi denunciado pelo MP por homofobia e ameaças a um funcionário de um supermercado de Eldorado (SP). Caso ocorreu em agosto de 2023.
Angelo Guido Bolsonaro virou réu por homofobia e ameaça
Angelo Guido Bolsonaro virou réu por homofobia e ameaça
Foto: Reprodução

Angelo Guido Bolsonaro, irmão mais velho do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), se tornou réu após o Ministério Público de São Paulo denunciá-lo por homofobia e ameaça. O caso ocorreu em agosto de 2023, contra um funcionário de um supermercado de Eldorado (SP), região do Vale do Ribeira. A informação é da Folha de S. Paulo. 

Alex de Oliveira, na época com 17 anos, contou à polícia que deu um 'tapinha' no ombro de uma colega de trabalho, e Angelo teria dito à mulher: "Ele bateu em você? Além de usar brinco, com certeza é viadinho e não dá pra falar nada que qualquer coisa já é racismo". 

Conforme a reportagem, ela teria confirmado às autoridades que ouviu o comentário do cliente. Semanas depois do ocorrido, o irmão de Bolsonaro teria empurrado um carrinho contra Alex e dito ‘p*ta que pariu’, momento em que o funcionário respondeu. Em seguida, Angelo o chamou de "arrombado" e disse que poderiam "resolver lá fora" e "sair no soco".

O irmão do ex-presidente foi chamado para prestar depoimento em novembro, e relatou que a discussão ocorreu por mau atendimento, mas negou que havia proferido ofensas preconceituosas. 

A denúncia do MP foi apresentada, em janeiro deste ano, por ofensas homofóbicas e ameaças. A acusação de injúria racial foi descartada. Três funcionárias do local foram ouvidas, e confirmaram o ocorrido. Uma delas chegou a especificar a frase preconceituosa usada por Angelo. 

À coluna Painel, ele disse que se trata de um problema pessoal, e não quis comentar. O Terra não localizou a defesa dele até o momento, o espaço permanece aberto para manifestações.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade