PUBLICIDADE

Homem é preso por gravar partes íntimas de atletas durante a Liga das Nações de Vôlei

Caso foi identificado pela empresa de segurança do torneio e repassado pela CBV à Polícia Civil do Rio

22 mai 2024 - 10h50
(atualizado às 10h58)
Compartilhar
Exibir comentários
Polícia Civil do RJ trabalha no caso
Polícia Civil do RJ trabalha no caso
Foto: Divulgação/Carlaile José Rodrigues/PCERJ

Um homem foi preso nesta terça-feira, no Rio, acusado de fotografar e filmar partes íntimas de atletas durante os jogos da Liga das Nações Feminina de Vôlei, no Maracanãzinho. O caso foi denunciado pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), que prestou apoio à Polícia Civil com informações sobre o suspeito. A reportagem ainda não obteve contato com a defesa do acusado.

Segundo a Polícia Civil, funcionários locais flagraram o momento exato em que o acusado, escondido, teria feito as imagens. "A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) foi informada pela empresa contratada para fazer a segurança da etapa brasileira da Liga das Nações que um dos prestadores de serviço do evento estava realizando gravações inadequadas de partes íntimas de atletas em quadra durante as partidas", informou a CBV em nota.

"Stealthing" e outros atos que podem configurar estupro "Stealthing" e outros atos que podem configurar estupro

De acordo com a entidade, após ter acesso a essas informações foi feito um boletim de ocorrências junto ao 5º DP da capital fluminense. Além disso, o prestador de serviços foi desligado e teve seu vínculo rompido. Foi cumprido um mandado de busca e apreensão no local em que ele estava hospedado.

"A CBV reitera que não tolera qualquer tipo de assédio ou desrespeito; que zela pela integridade de todos que participam de suas competições; e que está sempre à disposição para colaborar e atuar em conjunto com as autoridades legais. Além de prezar pela contratação de uma empresa de segurança qualificada e preparada em seus eventos, a CBV possui um Canal de Denúncia aberto para atletas, público e demais envolvidos nas competições", explicou a entidade.

O homem teria usado uma câmera fotográfica com lentes de aumento. Foram encontrados com ele dispositivos eletrônicos, como notebook, celular e cartões de memória, com os conteúdos gravados no Maracanãzinho e também de imagens, de natureza semelhante, filmadas no Recife durante partidas de vôlei de praia. O acusado vai responder por importunação sexual e registro não autorizado da intimidade sexual.

Confira na íntegra a nota oficial da Polícia Civil

Policiais civis da 5ª DP (Mem de Sá) prenderam, nesta terça-feira (21/05), um homem suspeito dos crimes de importunação sexual e registro não autorizado da intimidade sexual. Ele foi detido após trabalho de inteligência da distrital em um hotel no bairro de Copacabana, na Zona Sul do Rio, onde estava hospedado.

Contra ele, os agentes cumpriram um mandado de busca e apreensão e localizaram dispositivos eletrônicos que foram utilizados pelo acusado para fotografar e filmar as jogadoras de vôlei, além de armazenar as imagens. O crime ocorreu durante os jogos da competição feminina da Liga das Nações, no estádio do Maracanãzinho.

As investigações contaram com o apoio da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV). Segundo apurado, o preso entrou no evento com uma câmera fotográfica semiprofissional e equipada com lentes de aumento, para filmar e fotografar as partes íntimas das jogadoras.

Funcionários do local, porém, conseguiram flagrar o momento exato em que o acusado utilizou, de forma escondida, a câmera para capturar as imagens.

Na ação desta terça, os policiais apreenderam três dispositivos eletrônicos utilizados por ele, que continham conteúdo videográfico de diversas partidas de vôlei profissional, além da câmera, um notebook, um celular e dois cartões de memória.

Estadão
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade