PUBLICIDADE

Feira Preta: evento de cultura e empreendedorismo ressalta força do povo negro

Em sua 21ª edição, o evento teve sua programação finalizada no último final de semana e contou com a presença de artistas como IZA, BaianaSystem e Discopédia

7 dez 2022 - 15h01
Compartilhar
Exibir comentários
Apresentação musical no Festival Feira Preta.
Apresentação musical no Festival Feira Preta.
Foto: Imagem: Victor Oliveira/Alma Preta / Alma Preta

Celebrar a cultura negra em sua plenitude: essa foi a proposta da 21ª edição da Feira Preta. O evento aconteceu no Memorial da América Latina, na cidade de São Paulo, com espaços de música, empreendedorismo, shows, culinária e palestras. Quem compareceu ao encontro, teve a oportunidade de navegar em várias comunidades negras e suas nuances. 

A Feira Preta foi criada em 2002 por Adriana Barbosa como uma feira de produtos de empreendedores negros, trazendo conteúdos, produtos e serviços que representam o que há de mais inventivo, inovador e criativo em diferentes segmentos.

Em conversa com a Alma Preta Jornalismo, a atriz Elina de Souza comentou que, em sua primeira vez na Feira, achou o encontro maravilhoso e destacou a representatividade, a diversidade e as pessoas negras fazendo a economia girar entre elas.

"Sinceramente o que mais me chamou atenção é esse povo lindo e maravilhoso. Esse encontro de diversidade de pessoas é bom demais. Estou estaxiada", afirma Elina. 

Além das apresentações, o evento também propôs o diálogo sobre as diversas nuances do empreendedorismo, como publicidade, gestão financeira, audiovisual, metaverso e criatividade. 

Para Renan Damasceno, mediador do Preta Talks sobre Criatividade Preta, comenta que é a realização de um sonho estar no evento físico. "É muito bacana os diálogos que estamos percorrendo aqui, que fomenta nós que somos produtores de criatividade plurais de tendência, com um olhar muito descentralizado, trazendo pessoas de diversas regiões do Brasil", conta Renan. 

Assim como o criador de conteúdo, músico e compositor Tiago Simas. Em sua primeira apresentação presencial após o período de pico da pandemia na Feira Preta, mobilizou o público com bastante animação. Ele já tinha participado da última edição do evento, que ocorreu de forma online. 

Para o músico, a sua participação lhe trouxe uma sensação única e foi um divisor de águas em sua carreira. "Através do incentivo da Feira Preta e da Adriana Barbosa, eu comecei a lançar músicas na internet. E nessa brincadeira de lançamento, a coisa ficou séria. Hoje são mais de 50 mil players", comenta Tiago. 

Ao longo de 21 edições, a Feira Preta vem sendo construída por muitas mãos, em conjunto com parceiros e instituições privadas e públicas que ajudam a contar essa história e alcançar, cada vez mais, o maior número de pessoas. Com o tema  "O Futuro Preto se Faz Hoje'', a edição deste ano encerrou a sua programação. 

O evento contou com um amplo cronograma entre os dias 5/11 e 4/12. Foram mais de 130 atrações nacionais e internacionais, entre workshops, intervenções e painéis, shows de IZA, Baiana System, Discopédia, Balanço Black Project, Bushman, La Pacifican Power, Renascer Del Pacifico e Jelly Cleaver, com a mediação da criadora de conteúdo e apresentadora Ana Paula Xongani e do influenciador Roger Cipó, os mestres de cerimônia.

Alma Preta Jornalismo participa da 1ª Conferência de Jornalismos Plurais em Pernambuco

Alma Preta
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade