PUBLICIDADE

Brasil é o 33º país mais seguro para turismo LGBTQIA+

Embora tenha pontuado bem em quase todas as categorias listadas por site especializado, Brasil recebeu críticas pela violência

7 jun 2022 - 11h47
(atualizado às 12h37)
Ver comentários
Violência contra a população LGBTQIA+, especialmente pessoas trans, deixou país longe do topo do ranking
Violência contra a população LGBTQIA+, especialmente pessoas trans, deixou país longe do topo do ranking
Foto: iStock / iStock

O Brasil ocupa a 33ª posição, de um total de 203 países, na lista de destinos mais seguros do mundo para pessoas LGBTQIA+ conforme dez categorias. O levantamento foi realizado pelo casal Asher e Lyric Fergusson, que desde 2009 produz conteúdo sobre viagens e em 2021 decidiu fazer uma pesquisa específica para esse público.

As classificações do levantamento levaram em conta fatores como proteção ou perseguição legal, considerando se relacionamentos homoafetivos são reconhecidos ou proibidos por lei; segurança para pessoas trans, que envolve a quantidade de assassinatos de indivíduos neste grupo e possibilidades de alterar o gênero em documentos; e uma pesquisa de opinião com moradores dos países.

Apesar de o Brasil não ter obtido a classificação máxima em apenas três aspectos (proteção a trabalhadores, defesa legal contra discriminação e pesquisa de opinião), o país ficou longe do topo do ranking. De acordo com Asher e Lyric, a razão é a "violência amplamente documentada contra a população LGBTQIA+, especialmente pessoas trans".

Canadá, Suécia, Holanda, Malta e Portugal estão no topo da lista. O pior país na lista é o Brunei que, além de não ter nenhuma proteção legal para pessoas LGBTQIA+, o sultanato pune práticas homoafetivas com morte por apedrejamento. 
 

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade