PUBLICIDADE

1º casal gay do mundo: eles criaram um sobrenome e viveram mais de 40 anos juntos

Axel e Eigil Axgil inventaram seu próprio sobrenome, como símbolo de amor, mesmo antes de se casarem na Dinamarca

10 jun 2024 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Dois ativistas, Axel e Eigil Axgil, tornam-se os primeiros homens gays a oficializar uma união estável civil na Dinamarca em 1989.
Axel e Eigil Axgil, ativistas que protagonizaram o primeiro casamento gay oficial
Axel e Eigil Axgil, ativistas que protagonizaram o primeiro casamento gay oficial
Foto: Keld Navntoft/Scanpix

Em 1989, a Dinamarca se tornava o primeiro país do mundo a reconhecer oficialmente a união estável civil entre casais homoafetivos. E o primeiro casal a ser contemplado por esse direito histórico é formado por Axel e Eigil Axgil. 

A união foi oficializada em 1º de outubro de 1989, cuja cerimônia foi acompanhada por uma multidão de ativistas e simpatizantes que se aglomeravam na Prefeitura de Copenhague, onde aconteceu o evento. 

Considerados pioneiros na luta LGBTQIA+, os ativistas Axel e Eigil viviam juntos há pelo menos 40 anos e seguiram inseparáveis até a morte. Antes de se casarem, eles adotaram o sobrenome Axgil, que é uma combinação de seus nomes, como símbolo de compromisso e amor. 

Segundo a BBC, até o fim de 1989, 270 homens e 70 mulheres LGBTQIA+ registraram suas uniões civis na Dinamarca. Um passo importante que inspirou outros países a adotarem leis semelhantes. 

Grécia legaliza casamento homoafetivo; veja outros países que reconhecem a união Grécia legaliza casamento homoafetivo; veja outros países que reconhecem a união

Como eles se conheceram?

O ativismo foi o que os uniu. Inspirado pela Declaração Universal dos Direitos Humanos, adotada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1948, Axel viu a urgência de criar uma organização que reivindicasse os direitos LGBTQIA+ na região. Nasceu assim a Kredsen af 1948 ("Círculo de 1948"). 

Axel e Eigil se conheceram em um dos encontros do grupo ativista em 1949. Juntos eles criaram um jornal com conteúdo destinado à comunidade LGBTQIA+ , chamado  "Vennen" (Amigo, em português). 

O casal também abriu uma agência de modelos e uma empresa de fotografia, ambos especializados na temática LGBTQIA+. Anos depois, abriram uma pequena pousada no norte da Dinamarca, com a ideia de atender com respeito e dignidade membros da comunidade.  

Eigil morreu em setembro de 1995, aos 73 anos. Com seu ativismo firme, Axel Axgil faleceu em outubro de 2011, aos 96 anos. Em 2013, ele foi considerado pela organização Equality Forum como um dos 31 ícones mundiais da causa LGBTQIA+. 

Importante destacar que, em 2012, a Dinamarca passou a legalizar o casamento homoafetivo com plenos direitos. 

Fonte: Redação Nós
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Seu Terra












Publicidade