PUBLICIDADE

Relembre jogos que prometeram e não cumpriram

Cyberpunk 2077 é a decepção mais recente, mas os gamers já vivenciaram vários tombos com a indústria dos jogos

9 jul 2021 10h16
| atualizado às 14h19
ver comentários
Publicidade
Cyberpunk 2077
Cyberpunk 2077
Foto: CD Projekt RED / Divulgação

Todos os anos a comunidade gamer espera ansiosamente pelas conferências e eventos das desenvolvedoras de jogos, ansiosos por conhecer as grandes produções que vão jogar nos meses (ou anos) seguintes. Os anúncios são normalmente recebidos com muita expectativa. Infelizmente, o resultado nem sempre fica à altura das promessas dos estúdios.

O GameON separou uma lista com alguns jogos que prometeram muito, mas não conseguiram cumprir essas promessas no lançamento. Confira:

Cyberpunk 2077

Cyberpunk 2077
Cyberpunk 2077
Foto: CD Projekt RED / Divulgação

O caso mais recente de decepção talvez seja o maior da história dos games. Cyberpunk 2077 já possuía uma aura grande de expectativa pelo enredo futurista quando foi anunciado no distante ano de 2012, pela CD Projekt RED. Em 2015 a empresa entregou o magnífico The Witcher 3: Wild Hunt, consequentemente a expectativa em cima de Cyberpunk 2077 cresceu, uma vez que o último era um projeto tratado com muito carinho e visto como um dos mais ambiciosos na indústria dos games. Contudo, entraram os fatores externos: pressão dos investidores, dos executivos, da publicadora.

Cyberpunk 2077 foi lançado de forma totalmente precoce e o que o público viu em 2020 era claramente um projeto inacabado. Repleto de bugs, para jogadores com versões mais antigas do Xbox One e do PlayStation 4 a experiência era completamente frustrante. O jogo chegou a ser retirado do marketplace da Sony, a PS Store, com a empresa realizando reembolsos de quem havia adquirido o jogo. Com certeza Cyberpunk 2077 irá encabeçar listas de jogos que decepcionaram por muitos anos.

Anthem

Anthem
Anthem
Foto: Bioware / Divulgação

Anunciado pela EA na E3 de 2017, com um belo teaser Anthem prometia ser o jogo da BioWare que viria para rivalizar com Destiny, consequentemente a expectativa para o jogo ficou gigante. O lançamento em 2019 foi uma bomba praqueles que esperavam um jogo serviço de altíssima qualidade. Anthem chegou aos mercados com muitos bugs, problemas de conexão e telas de carregamentos muito demoradas. Além disso o sistema de loot do jogo foi extremamente criticado, pois o jogo requeria um grind excessivo para itens básicos, que acabavam sendo adquiridos por microtransações presentes na plataforma.

Nem os gráficos bem feitos e a gameplay, que era sim divertida, conseguiram segurar o jogo, que foi tão decepcionante que mudou os rumos de Dragon Age 4, que pretendia ser um jogo multiplayer serviço, mas não terá mais esse foco.

Mass Effect: Andromeda

Mass Effect Andromeda
Mass Effect Andromeda
Foto: Mass Effect Andromeda / Reprodução

O leitor deve ter reparado que a EA ocupa bastante espaço nesta lista. Mass Effect: Andromeda foi outra decepção proporcionada pela EA e pela BioWare. Por se tratar de um jogo da franquia de RPG que mistura ação com ficção científica, o público esperava muito do game.

A realidade foi que Mass Effect: Andromeda chegou repleto de problemas técnicos e com uma história completamente problemática e cheia de pontas soltas, fazendo com que a comunidade não conseguisse respostas para perguntas deixadas pelo game. A situação só piorou quando a EA anunciou que não haveria mais lançamentos de conteúdos para o jogo, incluindo aí possíveis DLCs que solucionariam as dúvidas da comunidade.

Mighty No. 9

Mighty Number 9
Mighty Number 9
Foto: Mighty Number 9 / Divulgação

O jogo que foi visto pelo público como um sucessor espiritual da franquia Mega man, ganhou hype graças ao criador Keiji Inafune, que prometeu maravilhas, conseguindo inclusive arrecadar todo o dinheiro para produzir o game em 2016 através de um crowdfunding no Kickstarter.

Aliás, esse foi um dos grandes motivos da irritação e decepção do público. A campanha começou com um valor inicial de US$ 900 mil, mas foi finalizada com mais de US$ 4 milhões doados, com Inafune sempre aumentando a pedida e prometendo. No final das contas Mighty No. 9 foi um game repetitivo com baixa qualidade gráfica nos efeitos, cenários e personagens. Este decepcionou e decepcionou com o dinheiro dos fãs.

No Man's Sky

No Man's Sky
No Man's Sky
Foto: Hello Games / Divulgação

No Man's Sky foi anunciado para o público prometendo uma exploração espacial sem igual. Com a possibilidade de exploração infinita de novos planetas e novas criaturas, o jogo chegou aos mercados em 2016 sendo uma completa decepção. O jogo entregou tão pouco em comparação ao que foi prometido que alguns usuários do Reddit se juntaram para compilar uma lista de tudo que a Hello Games prometeu, mas não entregou no lançamento. A lista pode ser vista aqui.

O game se tornou uma verdadeira saga de superação, pois a Hello Games continuou trabalhando no desenvolvimento de No Man's Sky por vários anos. Hoje, o game é muito mais divertido e completo do que nos seus primeiros dias, mais próximo do que foi prometido inicialmente. Ainda assim, a decepção no lançamento com certeza foi uma das maiores que o mundo gamer já viu.

Fallout 76

Fallout 76
Fallout 76
Foto: Fallout 76 / Reprodução

A Bethesda é um dos estúdios mais bem conceituados entre os fãs de RPG, mas assim como a Bioware, não está livre de tropeços: Fallout 76 carregou o hype em seu nome, mas passou longe de entregar a experiência que foi prometida pela produtora. O jogo foi anunciado em 2018 e lançado neste mesmo ano, chegando totalmente quebrado ao público.

Com bugs bizarros, como por exemplo jogadores ganhando imortalidade sem razão nenhuma e de forma totalmente aleatória, o jogo ainda possuía muitos problemas de conexão e fez com que o público abandonasse rápido a plataforma. A Bethesda até tentou recuperar o game, lançando vários conteúdos gratuitos e expansões, que tornaram a experiência melhor, mas o estrago estava feito e muitos jogadores nunca mais retornaram.

Watch Dogs

Watch Dogs
Watch Dogs
Foto: Ubisoft / Divulgação

Atualmente, Watch Dogs é uma das franquias mais bem estabelecidas com as gerações recentes de consoles, exibindo gráficos de ponta que usam recursos como resolução 4K e Ray tracing. Mas nem sempre foi assim e, na real, até hoje a série não entregou o que prometeu à época do anúncio do seu primeiro jogo em 2012 - responsável pela má fama dos anúncios da Ubisoft.

No trailer mostrado em 2012 víamos um universo muito bem criado com um verdadeiro deleite gráfico. O problema é que a versão lançada em 2014, além de entregar uma história pobre para um game que prometeu fazer frente à franquia GTA, também irritou extremamente os fãs por apresentar um inegável downgrade gráfico em relação ao trailer de 2012. A Ubisoft até consertou a franquia com o sucesso que foi Watch Dogs 2, mas a reputação ficou manchada.

Spore

Spore foi anunciado e ganhou hype automático por ser a "menina dos olhos" de Will Wright, o designer por trás dos sucessos imensos das franquias Sim City e The Sims. O jogo foi anunciado em 2005, com os criadores falando que ele estava em produção desde 2001, ainda assim foi lançado oficialmente apenas em 2008.

Todo este tempo envolvido no projeto também ajudou na expectativa criada para o jogo que prometia ser um game sobre a evolução da vida dividida em cinco fases. No final das contas o jogo foi classificado como tedioso pela maioria do público e decepcionou em seu lançamento.

Fonte: Game On
Publicidade
Publicidade