PUBLICIDADE

Quem são os jogadores do Last Dance, time de FalleN?

Além do Professor, equipe conta com fer, fnx, boltz e VINI

18 jan 2022 13h43
| atualizado em 19/1/2022 às 11h13
ver comentários
Publicidade
Foto: ESL / Divulgação

O cenário nacional de Counter-Strike: Global Offensive recebeu um presente na última semana ao ver FalleN anunciar oficialmente o Last Dance. O projeto tem o nome inspirado na história do time de basquete de Chicago Bulls, com Michael Jordan no comando, e é desejo antigo da torcida brasileira de CS:GO.

Isso porque os brasileirinhos queriam ver os jogadores mais vitoriosos do cenário se reunirem uma última vez para tentar trazer a glória do passado. Verdade seja dita, do quinteto que foi bicampeão de major em 2016, dois nomes não retornaram, mas ainda assim, o projeto já foi abraçado pela torcida nacional. Mas quem são os jogadores do Last Dance e por que eles são tão importantes para o cenário?

FalleN - O Professor, o Verdadeiro, Rei da Train

Foto: ESL / Divulgação

Se é possível que os brasileiros discutam quem foi o melhor jogador brasileiro da história do CS:GO, cogitando nomes como FalleN, fnx e coldzera, se o assunto for o maior brasileiro da modalidade, a resposta é indiscutível. Se entrarmos no mérito de analisar dentro dos servidores, Gabriel "FalleN" Toledo é indiscutívelmente o melhor AWPer que o Brasil já viu na modalidade. Bicampeão consecutivamente de major - MLG Columbus 2016 e ESL One Cologne 2016 -, FalleN conta também com diversos outros grandes títulos dos circuitos competitivos competitivos.

O Professor é realmente um grandiosíssimo jogador, mas sua presença no cenário vai além disso. Antes mesmo de conseguir sucesso como jogador, FalleN foi o responsável de criar uma academia para jovens que sonhavam ser profissionais no FPS da Valve. Este projeto embrionário evoluiu para se tornar o que hoje é a Gamers Club. Mas o que isso quer dizer? Basicamente, o Verdadeiro é indiretamente responsável por cada profissional que aparece no cenário nacional. O homem é indiscutivelmente o maior nome brasileiro do CS:GO.

fer - A Dona Morte

Foto: ESL / Divulgação

Todo grande herói possui um companheiro fiel, alguém em que se pode contar e confiar independente da situação. Se FalleN fosse Han Solo, fer seria Chewbacca, se FalleN fosse Woody, fer seria Buzz Lightyear. Fernando "fer" Alvarenga foi parte importante da trajetória de sucesso da line lendária bicampeã de major, não a toa foi apelidado carinhosamente como Dona Morte pela comunidade, mas por quê?

Bem, traçando um paralelo com o futebol, zagueiros e goleiros tendem a comentar que os adversários mais complicados são os imprevisíveis. Isso porque é difícil sustentar uma defesa sólida sem conseguir imaginar o que o atacante do outro time irá aprontar. E fer foi isso para os times que enfrentaram sua equipe. A Dona Morte revolucionou a posição de entry fragger, aquele que tem que chegar primeiro dando a cara, conseguindo eliminações e coletando informações. Com uma movimentação insana, a torcida com certeza espera jogadas imprevisíveis de fer no Last Dance.

fnx - sem fnx, sem major

Foto:

Ao contrário de seus companheiros de time, Lincoln "fnx" Lau já era campeão mundial de Counter-Strike aos 16 anos, em 2006. O jogador fez parte da MIBR que dominou o mundo no CS 1.6 no início do milênio. Vamos ser francos, fnx é o jogador mais questionado desta line, pela postura de "bon vivant" fora dos servidores, além do fato de não atuar profissionalmente em times de elite há alguns anos. Entretanto, essa também era a situação dele no início de 2016...

Por ter atingido o topo já aos 16 anos, para muitos fnx não alcançaria muito mais, por não ter motivação, ainda mais com o futuro do Counter-Strike em dúvida, com o fim da versão 1.6. Mas Lincoln não escolheu seu nick de jogo a toa, e lembrou a todos o porquê. FalleN já falou diversas vezes que a chegada de fnx à line que seria campeã do mundo foi realmente a peça que faltava, por ser um jogador experiente e frio para trazer vitórias em rounds que pareciam perdidos. O resto é história e a frase da blusa que fnx usava no primeiro major indica o porquê de não duvidar do multicampeão: Fênix ressurgindo das cinzas. E sempre bom lembrar que sem fnx, sem major.

boltz - ninguém segura o spray do boltalha

Foto:

Quem vê Ricardo "boltz" Prass com apenas 24 anos pouco deve imaginar que ele estava lá nas raízes do cenário nacional, quando tudo ainda era mato. boltz chegou a fazer parte do core que foi bicampeão, mas foi uma das peças trocadas antes da chegada de fnx, coldzera e taco. Entretanto, isso não impediu que o boltalha caminhasse com seus próprios pés para se tornar um dos nomes mais respeitados do cenário.

Verdade seja dita, boltz já venceu muitos títulos importantes em sua carreira como jogador profissional, mas ainda falta aquele, o precioso. Ele bateu na trave em 2017, quando era jogador da Immortals, sendo vice campeão após uma derrota dolorida para a Gambit na final do PGL Major Kraków 2017. Contudo, a ausência de um major não muda o fato de que ele é um dos jogadores mais icônicos do cenário nacional e ainda tem muita bala para gastar, como compartilhou com o Game On em entrevista exclusiva. Aliás, sobre bala para gastar, todo mundo sabe que não dá para encarar o famoso spray do boltalha.

VINI - o TACO 2.0

Foto: Igor Bezborodov/StarLadder / Divulgação

Se para os outros quatro jogadores o Last Dance pode representar a última equipe que eles defenderão na carreira, para o último player desta line o time representa apenas o começo. Vinicius "VINI" Figueiredo é cria da FURIA, e apenas deu seus primeiros passos no cenário de CS:GO. A evolução de VINI em 2021 foi expressiva, não à toa o jogador foi alvo de grandes clubes como Liquid. Além disso, ele chega para ser a mira adolescente do Last Dance.

Mais uma vez, em comparação ao futebol, todas as boas equipes normalmente possuem aquele jogador que costumamos chamar de carregador de piano. Ou seja, alguém que está disposto a se sacrificar pela equipe e normalmente não aparece tanto nos holofotes, mas ainda tem muito a provar. Quando foram bicampeões de major a Luminosity/SK tinha em TACO esse jogador. Agora em 2022, VINI aparece como o substituto espiritual de Epitácio de Melo. Afinal, em um time de lendas VINI com certeza chega com sangue nos olhos para provar que merece seu lugar na história.

peacemaker - o maestro

Foto: DreamHack / Divulgação

O técnico com toda a certeza é uma das peças mais subestimadas no competitivo do CS:GO. Aliás, a função não é sequer valorizada pela Valve, que sempre que pode impõe restrições pouco coerentes aos treinadores. Entretanto, constantemente os jogadores profissionais apontam a importância de um coach nos momentos de tensão e nas tomadas de decisão das equipes a cada round. E aqui temos peacemaker para ser o maestro emocional do Last Dance.

A presença de Luis "peacemaker" Tadeu como o técnico de FalleN, fer e fnx no projeto chega a ser um pouco irônica. Isso porque, mesmo sendo um coach de história respeitável e com passagem por grandes equipes, foi este trio de jogadores que impediu peacemaker de conquistar seu maior troféu na carreira. Iss o porque ele era o técnico da Team Liquid durante a final da ESL One Cologne 2016, quando a SK Gaming aplicou um 2x0 na equipe de peacemaker. Bem, existe um velho ditado que diz: "se não pode contra eles, junte-se a eles".

Fonte: Game On
Publicidade
Publicidade