PUBLICIDADE

“Não mudaria nada”, diz Modestia, campeão da LBFF

Uma conversa exclusiva com o time da Vivo Keyd, campeã da Liga Brasileira de Free Fire

2 ago 2021 14h37
| atualizado às 14h50
ver comentários
Publicidade
Vivo Keyd, campeã da LBFF 5
Vivo Keyd, campeã da LBFF 5
Foto: Vivo Keyd / Divulgação

Se você procurasse na história da LBFF alguma equipe que dominasse a Fase de Grupos e a Final da competição, não encontraria, ao menos até a quinta temporada, quando a Vivo Keyd, indo contra as estatísticas, dominou absolutamente toda a competição.

O Game On conversou com Modestia, DeadGOD e Kbção para conhecer os detalhes por trás da campanha perfeita, os momentos difíceis e toda a emoção de se tornarem os novos campeões nacionais do battle royale da Garena.

Estratégia e agressividade

Campeões absolutos, a campanha dos Guerreiros ficou marcada pela estratégia e pela agressividade. Durante a fase de grupos, foram 343 abates, marca bem superior à do Fluxo, equipe que defendia o título e teve a segunda melhor marca no quesito. Já na grande final, a história não foi diferente, e novamente vimos o domínio de uma equipe que teve uma campanha extremamente consistente. 

Ainda assim, a quinta temporada da LBFF foi uma das mais equilibradas de todos os tempos. A Vivo Keyd assumiu a liderança na primeira semana de disputas, mas viu o Corinthians liderar por grande parte do split. Porém, já na reta final da fase classificatória, nossos Guerreiros apresentaram um desempenho incrível, muito acima da média das outras equipes. Num cenário tão equilibrado, ver uma equipe dominando rodada após rodada é difícil.

Modestia, da Vivo Keyd
Modestia, da Vivo Keyd
Foto: Garena / Divulgação

Segundo Modestia, um dos líderes da Vivo Keyd, o amadurecimento de toda a equipe é o motivo desse sucesso: 

O que mais contou foi o entrosamento durante todo o campeonato. Entraram dois novos jogadores e um novo técnico, então tudo mudou. Tivemos muitas mudanças na equipe, então durante o campeonato fomos acertando algumas coisas, consertando os erros e, quando chegamos na reta final, o time já estava muito encaixado. Acho que a crescente que tivemos durante a reta final foi o que mais influenciou na final. Tínhamos muita confiança e, por mais que a gente tenha zerado as duas primeiras quedas da final, em nenhum momento deixamos de estar confiantes. Acho que isso foi o que contou muito pro nosso título.

Esse período de adaptação foi justamente o dominado pelo Corinthians, que parecia ser o time a ser batido durante boa parte do split. Com as mudanças do meta durante a competição, algumas equipes se adaptaram mais rapidamente e conseguiram se sobressair. Nesse sentido, o segredo para o sucesso foi a qualidade da equipe que, segundo Modestia, é sem dúvidas a melhor do cenário:

Acho que o que mais contou na nossa equipe foi o fato de que somos cinco jogadores muito qualificados. Pra mim, não há dúvidas que nosso time é o melhor, com cinco jogadores de alto nível. Além disso, a parte técnica contou muito, e ela melhorou graças ao Start, nosso novo coach. Então foram cinco jogadores com muita bala e com muita estratégia. Conseguimos juntar tudo e montar esse time, fazer essas coisas darem certo.”

Aprenda a jogar Free Fire: dicas para iniciantes:

Ainda assim, a equipe passou por um apagão no início da Grande Final. Com apenas quatro pontos somados nas duas primeiras quedas, a Vivo Keyd viu as equipes do Corinthians e do Fluxo se distanciarem na liderança. Nessas horas, o fator psicológico é decisivo para uma recuperação. E que recuperação! 

Da terceira queda em diante, a equipe reencontrou sua característica agressividade, somou 48 abates e conquistou dois Booyahs para chegar aos 108 pontos. A queda final ainda trouxe momentos tensos, quando o Corinthians contestou a call da Vivo Keyd e conseguiu eliminar um de seus jogadores. Ainda assim, nada parecia abalar a confiança da equipe:

Acho que o que mais conta nessas horas é o psicológico. Temos pessoas que cuidam da gente aqui (na GH) e acho que o que mais conta é isso. Em nenhum momento da final pensamos em desistir ou pensamos que estava tudo perdido. A final começou na terceira queda pra gente. Fizemos duas partidas ruins e fomos acordar na terceira e, ainda assim, foi o suficiente para ser campeão. Nossa regularidade durante todo o campeonato foi brilhante, não tem muito o que falar - tanto na fase classificatória quanto na final.

Destaque da equipe na competição, Nando9 chamou a atenção durante todo o split. O jogador, que chegou de uma equipe da Série B, é considerado um dos melhores suportes do cenário nacional e foi escolhido para a Seleção LBFF logo em sua temporada de estreia. Além disso, o estreante somou 107 abates e chegou a brigar pelo prêmio de MVP, conquistado por Syaz, do Fluxo. Se tornando elemento essencial do título, os jogadores exaltaram a campanha e a evolução de Fernando Gomes Fernandes durante toda a temporada:

Pra gente é indispensável comentar sobre isso. O Nando é um jogador essencial. A função dele é uma das principais dentro do time e o que mais o diferencia é a questão da bala. Pra gente, e pra muitos do competitivo, o Nando é o melhor suporte brasileiro. Ele tem muita bala. Ele começou bem com a gente e o Stark conseguiu colocar na cabeça dele qual sua função, o que ele tem que fazer em determinados momentos. Ele foi evoluindo com a gente e o time ficou muito bem encaixado - eu não mudaria nada do que fizemos  durante todo split.

Por trás de uma campanha perfeita, há um técnico que também chegou recentemente para botar ordem na casa. Stark veio da Black Dragons e trouxe o conhecimento estratégico que faltava para trazer o título para a Vivo Keyd, que já havia batido na trave nas duas primeiras edições da LBFF.

Ele ensinou muita coisa que ainda não sabíamos. Eu e o DeadGOD, que jogamos juntos há mais tempo, sempre fomos muito agressivos e sempre jogamos em times muito agressivos, que nas classificatórias amassavam. Mas as jogadas mais técnicas, nós fazíamos durante o classificatório e, basicamente, não tínhamos nada novo para a final. Nós não treinávamos muitas coisas pra final. Aqui foi diferente. Absolutamente tudo o que aconteceu na final já tínhamos treinado. Passávamos o dia inteiro treinando final de safe, essas coisas. Então, tudo o que aconteceu na final tínhamos treinado um dia antes. 60 quedas a mesma coisa".

DeadGOD durante a LBFF 5
DeadGOD durante a LBFF 5
Foto: Garena/Bruno Alvares & Jéssica Liar / Divulgação

DeadGOD é outro grande destaque da Vivo Keyd na campanha. Um dos jogadores mais experientes do cenário nacional, DeadGOD tem uma história linda de superação e, no split passado, sofreu com a perda do avô pouco antes da disputa da final. Então, ele prometeu conquistar o título da LBFF em homenagem ao avô, o que serviu como catalisador em sua jornada na quinta temporada. Ao final da transmissão da LBFF, ele parecia estar em um momento íntimo, ainda sem acreditar no que acabara de acontecer:

Nossa… quando a gente foi campeão, o Daniel, nosso parceiro aqui, falou que podíamos comemorar, que o título era nosso. Então eu pensei: “a gente foi campeão mesmo”. Eu olhei pro Modestia e falei: “a gente foi campeão, Modestia!”. No momento foi difícil de acreditar, a ficha não caiu. Até agora, o troféu já chegou e ainda não acreditamos.

A parceria com Modestia já vem de longa data. Depois de uma boa passagem pelo Flamengo B4, ambos estrearam na Vivo Keyd e conseguiram apenas a 12ª colocação durante a LBFF 4. Ainda assim, ambos sempre estavam em um nível alto nas competições e esse parecia ser o momento certo de, finalmente, levantar a taça.

"A gente chegava em alto nível em todos os splits. Mas precisávamos levantar a taça, provar para nós mesmos, e para todo mundo, que somos capazes de ser campeões. Não só bater na trave tantas vezes. Tínhamos que ser campeões. Era o momento, tudo estava dando certo, estava tudo escrito - acredito muito nisso".

Entrevista: Deadgod, campeão de Free Fire da Vivo Keyd:

O próximo passo da equipe é lutar pelo bicampeonato da LBFF, feito inédito na competição. Além disso, a equipe sonha em participar do próximo mundial, que deve acontecer no final do ano. Para os fãs, eles deixam um recado:

"NUNCA DESISTAM. Contamos com vocês novamente, no próximo split da LBFF e no mundial. Não sabemos ainda como vai ser o mundial, mas faremos de tudo pra estar entre os melhores novamente. Além disso, vamos buscar o bicampeonato. Contamos com a torcida de vocês. O time deve ser o mesmo, provavelmente. E viremos do mesmo jeito, com a mesma energia, mesma batida, mesma vontade. Com a mesma sintonia de sempre, querendo ser campeão, querendo representar o Brasil”.

Fonte: Game On
Publicidade
Publicidade