PUBLICIDADE
Logo do

Vasco

Favoritar Time

Empresa de investimento dos EUA tem interesse na compra do Vasco, que pode virar SAF, diz Bloomberg

Endividado, clube carioca estuda adotar modelo de clube-empresa e é alvo de investidores estrangeiros

19 jan 2022 17h25
| atualizado às 17h28
ver comentários
Publicidade

A empresas de investimento 777 Partners negocia a compra do Vasco, segundo pessoas envolvidas que pediram anonimato à Bloomberg. O clube carioca, que disputará novamente a Série B em 2022 e acumula uma das maiores dívidas do futebol brasileiro, ainda é uma associação sem fins lucrativos, mas a atual diretoria estuda adotar o formato de Sociedade Anônima do Futebol (SAF), acompanhando os casos de Cruzeiro e Botafogo.

A 777 Partners já é dona do Genoa, que disputa o Campeonato Italiano, além de uma participação minoritária no Sevilla, da Espanha. O movimento da empresa se dá pela aprovação da Lei da SAF, sancionada no segundo semestre do ano passado. Um representante da 777, comandada pelos cofundadores Steven Pasko e Josh Wander, se recusou a comentar o assunto. A Bloomberg destaca que o Vasco tem uma das maiores torcidas do Brasil, além de ser um dos clubes mais endividados do futebol do país.

Um representante do Vasco disse que o mercado brasileiro de futebol passará por profundas mudanças nos próximos meses e o clube tem despertado o interesse de potenciais investidores. Possíveis propostas serão analisadas internamente. Desde dezembro do ano passado, a diretoria do Vasco anunciou que estuda os detalhes para adotar o formato SAF. O clube anunciou em suas redes sociais nesta quarta-feira que promoverá um debate sobre a SAF nesta sexta às 10h30 em seu canal no Youtube.

O clube teve seu pior ano em 2021, ao não conseguir o acesso à Série A. O time até sonhou com a promoção à primeira divisão, mas nunca entrou no G-4 e terminou a competição apenas na décima posição. A equipe ainda teve a segunda defesa mais vazada da Série B. Para a atual temporada, a diretoria promove grande reformulação do elenco.

A Bloomberg também citou o interesse da empresa DaGrosa Capital Partners na compra do América-MG, mas as negociações que começaram no segundo semestre do ano passado esfriaram. As partes não se entenderam sobre os termos finais. A SAF do América-MG foi registrada na primeira semana deste ano.

Estadão
Publicidade
Publicidade