0

Demoliner e holandês perdem e ficam com o vice de duplas em torneio na China

Brasileiro e Matwe Middelkoop foram derrotados pelos belgas Joran Vliegen e Sander Gille

29 set 2019
15h59
  • separator
  • 0
  • comentários

O brasileiro Marcelo Demoliner chegou perto de conquistar o ATP 250 de Zhuhai, disputado em quadras rápidas na China, mas não teve êxito. O tenista gaúcho e o seu parceiro holandês Matwe Middelkoop foram derrotados na final deste domingo para os belgas Joran Vliegen e Sander Gille por 7/6 (7/2) e 7/6 (7/4) e ficaram com o vice.

Marcelo Demoliner jogou a sua décima final na carreira profissional. Ele tem um título em sua trajetória, o ATP 250 de Antalya, na Turquia, conquistado ao lado do mexicano Santiago Gonzalez em 2018. Neste ano, foi vice-campeão do ATP 250 de Munique, disputado em quadras de saibro na Alemanha, ao lado do indiano Divij Sharan.

O tenista brasileiro Marcelo Demoliner e o holandês Matwe Middelkoop
O tenista brasileiro Marcelo Demoliner e o holandês Matwe Middelkoop
Foto: Instagram / @mdemoliner / Estadão

O gaúcho de 30 anos é o terceiro tenista brasileiro mais bem colocado no ranking de duplas da ATP. Está no 54º lugar, atrás de Bruno Soares, que ocupa o 22º posto, e Marcelo Melo, o quinto. Os líderes são os colombianos Robert Farah e Juan Sebastián Cabal. A melhor marca de Demoliner na carreira é o 34º lugar, alcançado em 2017.

Demoliner e Middelkoop só haviam participado de um torneio juntos, o ATP de São Petersburgo, na Rússia, na semana passada, quando caíram na primeira rodada. Experiente, o holandês de 36 anos é o número 64 do mundo e já acumula sete troféus de ATP na carreira.

Na chave de simples do torneio chinês quem triunfou foi o australiano Alex de Minaur, número 31 do mundo, que derrotou o francês Adrian Mannarino, atual 64º do ranking, em sets diretos, com parciais de 7/6 (7/4) e 6/4.

EM CHENGDU

O ATP 250 de Chengdu, na China, foi vencido pelo o espanhol Pablo Carreño Busta, que superou o casaque Alexander Bublik de virada, por 2 sets a 1, com parciais de 6/7 (5/7), 6/4 e 7/6 (7/3). Seu último troféu conquistado havia sido o ATP 250 de Estoril, em Portugal, vencido em maio de 2017.

Com o título no torneio chinês, o espanhol de 28 anos, ex-top 10 e atualmente no 63º posto do ranking, pôs fim a um jejum de conquistas que já durava mais de dois anos. Por sua vez o jovem Bublik, de 22 anos, é o 71º do ranking e ainda busca seu primeiro título de ATP.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade