PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Surfe

WSL: Jack Robinson e Gabriela Bryan são campeões em Margaret River

Jack Robinson venceu no quintal de casa

21 abr 2024 - 12h07
(atualizado às 12h48)
Compartilhar
Exibir comentários
Jack Robinson comemora em casa.
Jack Robinson comemora em casa.
Foto: Beatriz Ryder / WSL / Esporte News Mundo

A quinta etapa da WSL (World Surf League), que foi disputada em Margaret River, Austrália, chegou ao fim neste sábado (20). No masculino, o local Jack Robinson se sagrou bicampeão consecutivo, enquanto a havaiana Gabriela Bryan fez a festa no feminino. A competição definiu os classificados e rebaixados para o restante da temporada 2024.

Com uma janela apertadíssima na competição, a WSL foi obrigada a colocar na água 19 baterias no "Finals Day". Para a sorte da liga, a previsão de boas ondas se confirmou e o que se viu em Margaret foi um verdadeiro show de surfe.

MASCULINO

A WSL deu sinal verde para a sequência da competição logo cedo na manhã de domingo no fuso-horário australiano. O dia começou na quarta bateria das oitavas de final. George Pittar levou a melhor sobre Liam O'Brien com uma nota 9. Ethan Ewing, também da Austrália, foi derrotado por Seth Moniz e o brasileiro Caio Ibelli caiu no corte diante de Jordy Smith. A sétima bateria do round contou com a vitória do havaiano Imaikalani deVault sobre o americano Jake Marshall. O campeão mundial Italo Ferreira fechou as oitavas com derrota e eliminação para Jack Robinson.

De volta à água depois de polêmica vitória sobre Medina, John John Florence abriu as quartas de final com um bom resultado diante do brasileiro Samuel Pupo, mais um surfista rebaixado na WSL. Pittar manteve se ótimo momento e passou por cima do líder do ranking Griffin Collapinto. Na bateria, o australiano conquistou uma nota 9.5 e subiu ainda mais seu nível de atuação. Em confronto bastante equilibrado, Moniz avançou sobre Smith e cravou sua vaga nas semifinais. Jack Robinson não deu chances para DeVault e também se qualificou.

Florence consegue nota 10

Na abertura das semifinais de Margaret River, John John Florence brilhou e entrou para a história do local. No confronto contra o embalado George Pittar, o havaiano sobreviveu a uma verdadeira bomba d'água. Sem prioridade, o bicampeão mundial não perdeu tempo e aplicou um incrível layback, marcou mais duas batidas e conquistou a mais sonhada nota da WSL. Ao final, vitória de JJF, deixando o rival em combinação.

Jack Robinson estava disposto a repetir o feito da temporada anterior. Ele superou Moniz na segunda semifinal, tirando a chance do Havaí assistir a uma decisão com dois representantes da ilha.

Final

A grande final masculina acompanhou as expectativas. Florence e Robinson proporcionaram uma batalha em busca da glória. O australiano fez um somatório de 17.27 contra o 16.04 de John John. O confronto foi marcado por uma nota 9.1 de Jack, que foi fundamental para a confirmação do título. Florence até tentou responder à altura com uma nota 8.77, mas nem isso foi suficiente, e o surfista amargou sua terceira derrota em finais da WSL para o rival.

FEMININO

Alternando com os homens, as fases femininas também proporcionaram grandes momentos no dia decisivo em Margaret River. No início das quartas de final, Gabriela Bryan superou a australiana India Robinson, já preparando um futuro promissor na competição. Depois, Brisa Hennesy eliminou outra dona da casa e avançou sobre Molly Picklum. Tyler Wright não deu chances para o azar e venceu a líder do ranking Caitlin Simmers. Para fechar o round, Sawyer Lindblad superou Sally Fitzgibbons, de olho em um salto na tabela da WSL.

Nas semis, Bryan venceu confronto apertado contra Hennesy e carimbou um espaço na final. Precisando de um resultado milagroso no início da etapa, Lindblad não sentiu a pressão e conquistou uma nota 9.4 nas semifinais, deixando Tyler Wright em combinação ao soar do sino.

Final

A havaiana Gabriela Bryan estava realmente disposta a alcançar o top5 do ranking da WSL e fez um somatório de 15.93 a 13.94 sobre a americana Sawyer Lindblad para conquistar o título de Margaret. Na decisão, foi premiada com uma nota 8.10 no fim para sacramentar o resultado. A rookie até lutou, mas ficou precisando de um 8.66 ao final da bateria, o que não foi possível para Sawyer.

RANKING MASCULINO WSL APÓS O CORTE

  1. Griffin Colapinto - Estados Unidos - 25,865 pontos
  2. John John Florence - Havaí - 21,950;
  3. Ethan Ewing - Austrália - 20,610;
  4. Jack Robinson - Austrália - 19,395;
  5. Jordy Smith - África do Sul - 16,905;
  6. Jake Marshall - Estados Unidos - 16,130;
  7. Barron Mamiya - Havaí - 15,980;
  8. Cole Houshmand - Estados Unidos - 15,980;
  9. Kanoa Igarashi - Japão - 15,770;
  10. Liam O'Brien - Austrália - 14,705;
  11. Imaikalani deVault - Havaí - 14,140;
  12. Crosby Colapinto - Estados Unidos - 14,055;
  13. Rio Waida - Indonésia - 12,990;
  14. Ramzi Boukhiam - Marrocos - 12,715;
  15. Italo Ferreira - Brasil - 12,715;
  16. Leonardo Fioravanti - Itália - 12,150;
  17. Seth Moniz - Havaí - 12,150;
  18. Ryan Callinan - Austrália - 12,065;
  19. Gabriel Medina - Brasil - 12,065;
  20. Matthew McGillivray - África do Sul - 12,065;
  21. Connor O'Leary - Japão - 12,065;
  22. Yago Dora - Brasil - 11,290;  

RANKING FEMININO WSL APÓS O CORTE

  1. Caitlin Simmers (EUA) 29.490 pontos
  2. Johanne Defay (FRA) 27.290
  3. Molly Picklum (AUS) 25.155
  4. Brisa Hennessy (CRI) 24.340
  5. Gabriela Bryan (HAV) 22.100
  6. Caroline Marks (EUA) 21.660
  7. Bettylou Sakura Johnson (HAV) 21.240
  8. Tyler Wright (AUS) 19.105
  9. Tatiana Weston-Webb (BRA) 18.185
  10. Sawyer Lindblad (EUA) 17.765 
Esporte News Mundo
Compartilhar
Publicidade
Publicidade