PUBLICIDADE
Logo do

São Paulo

Meu time

Análise: Reinaldo de zagueiro e Sara na lateral. Como o São Paulo entrou em campo contra a Chapecoense

Crespo mandou o time a campo com escalação inusitada e extremamente ofensiva, mas o jogo mudou após a expulsão de Rodrigo Nestor, ainda no primeiro tempo da partida

17 jun 2021 07h02
ver comentários
Publicidade

Na última quarta-feira (16), o São Paulo recebeu a Chapecoense, pela quarta rodada do Brasileirão, no Morumbi. O time entrou com escalação inusitada, com apenas um zagueiro de ofício de jogadores improvisados, principalmente no setor defensivo. Mesmo com um início de bastante superioridade, o Tricolor caiu de rendimento após a expulsão de Rodrigo Nestor e, assim, a partida terminou em 1 a 1.

São Paulo ficou no empate contra a Chapecoense (Foto: Paulo Pinto/ saopaulofc.net)
São Paulo ficou no empate contra a Chapecoense (Foto: Paulo Pinto/ saopaulofc.net)
Foto: Lance!

Precisando da vitória e com muitos desfalques, Crespo ousou na escalação. O argentino mandou a campo uma equipe extremamente ofensiva, sendo Bruno Alves o único zagueiro de fato dentre os titulares. Compondo a zaga ao lado do camisa 3, o treinador optou por improvisar o lateral Reinaldo como zagueiro.

Se Reinaldo estava escalado como zagueiro, o time precisava de alguém na lateral esquerda, o que gerou mais um improviso do técnico: Gabriel Sara, meio campista, foi escalado como lateral. A lateral direita não teve muita surpresa, Igor Vinícius foi o escolhido.

Dessa forma, Crespo abriu mão de uma formação com três zagueiros, optando pela linha de quatro jogadores. No meio de campo, uma nova linha de quatro jogadores, com Rigoni aberto pela direita, Rojas pela esquerda e Liziero e Rodrigo Nestor centralizados. No ataque, a dupla Luciano e Éder. Equipe escalada num esquema 4-4-2.

Se a formação, a princípio, não parece ofensiva, os jogadores selecionados pelo argentino definitivamente são. Em momento de ataque, Rojas e Rigoni viravam pontas, suas posições de origem, garantindo profundidade e amplitude. Igor Vinícius e Gabriel Sara apoiavam pelos lados. Atrás, apenas Reinaldo e Bruno Alves permaneciam protegendo o campo de defesa do Tricolor.

Por dentro, Liziero ganhava maior liberdade na criação, com foco no lado direito, enquanto Rodrigo Nestor ocupava a ala esquerda do ataque, se aproximando de Gabriel Sara e Rojas. Na frente Luciano saia mais da área, enquanto Eder atuou como um centro-avante mais fixo, um 'homem-gol'.

Durante os primeiros 41 minutos, a formação inusitada deu muito certo, e o São Paulo dominou as ações. O lado direito, de Rigoni e Igor Vinícius, foi o mais acionado. Por lá, por exemplo, veio o cruzamento do camisa 77, na cabeça de Eder, para abrir o placar.

O argentino foi um dos principais nomes do primeiro tempo, participando efetivamente da criação ofensiva da equipe. Com qualidade usando as duas pernas, bons passes e muita inteligência, Rigoni foi o melhor jogador em campo na primeira etapa.

Com a forte pressão do São Paulo no campo de ataque, os improvisos na defesa foram pouco perceptíveis e pouco preocupantes até a expulsão de Rodrigo Nestor, aos 41 minutos, que fez com que a Chapecoense explorasse mais o ataque e provocou mudanças no Tricolor.

Para o segundo tempo, Crespo optou por tirar o atacante Luciano e colocar em campo o zagueiro Léo. Com isso, Reinaldo passou a jogar na lateral esquerda, enquanto Gabriel Sara compôs o meio de campo ao lado de Liziero. Assim, o time passou a atuar num 4-4-1, com Eder como o único atacante.

Em alguns momentos da segunda etapa, o São Paulo voltou a crescer e levar perigo, chegando a uma grande chance de gol desperdiçada por Pablo (entrou no lugar de Éder), após ótimo passe de Welington (entrou no lugar de Rojas).

Porém, a inferioridade numérica foi determinante e, aos 25 minutos do segundo tempo, Kaio Nunes empatou o jogo. A partida seguiu nesse ritmo, com a Chape levando mais perigo e por pouco não virando o jogo. Welington chegou a tirar uma bola em cima da linha no final do jogo.

Com o empate, o São Paulo segue sem vencer na competição. Após quatro rodadas, a equipe soma dois empates e duas derrotas, conquistando apenas dois pontos dos 12 disputados.

O próximo confronto do Tricolor é um clássico diante do Santos, no próximo domingo (20), na Vila Belmiro. A partida é válida pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro, e o São Paulo espera iniciar sua retomada.

Lance!
Publicidade
Publicidade